Sustentabilidade

Eventos climáticos provocaram 142 mil mortes na Europa nos últimos 40 anos

Estudo da AEA alerta para possível aumento da frequência e da severidade de eventos climáticos na Europa caso não sejam tomadas medidas
Eventos climáticos
Eventos climáticos

As alterações climáticas têm tido um grande impacto no mundo e o aumento da frequência e da intensidade dos eventos climáticos são duas consequências apontadas em vários estudos.

Agora, a Agência Europeia do Ambiente (AEA) divulgou um estudo que indica que estes fenómenos climáticos que se têm tornado cada vez mais comuns, só na Europa, nos últimos 40 anos, foram responsáveis pela morte de 142 mil pessoas e causaram danos no valor de 510 biliões de euros.

Tendo por base dados da organização CATDAT, a AEA concluiu que as vagas de calor, os períodos de frio, as secas ou incêndios florestais são os principais responsáveis pela perda de vidas humanas (93%), mas representam apenas 22% dos prejuízos financeiros. Por outro lado, as inundações são responsáveis por 44% dos prejuízos, sendo seguidas pelas tempestades.

Os eventos mais graves são apontados como os responsáveis por maiores prejuízos, o que, em termos analíticos, significa que 3% dos desastres naturais foram responsáveis por cerca de 60% do custo financeiro entre 1980 e 2020. Por exemplo, a vaga de calor de 2003 foi responsável por cerca de 80 mil mortes nos 32 países europeus analisados.

A análise também conclui que apenas um quarto dos danos provocados pelos eventos climáticos estava protegido por seguros, referindo que há grandes disparidades de países para países. Na Roménia e na Lituânia, por exemplo, apenas 1% estava assegurado. Já na Países Baixos e na Dinamarca, a percentagem sobre para mais de 50%.

De acordo com a AEA, não é possível concluir com certeza que o número de fenómenos relacionados com o clima tenha realmente aumentado nos últimos 40 anos devido às alterações climáticas. Em declarações à AFP, um especialista da agência europeia refere que apesar de todos os desastres referidos serem influenciados pelas condições climáticas, não significa que sejam todos afetados pelas mudanças climáticas.

Ainda assim, estudos demonstram que parece haver uma ligação direta entre a frequência e a gravidade de eventos como secas e incêndios florestais e as alterações climáticas.

Os modelos climáticos que têm sido estudados na Europa indicam que haverá eventos climáticos, como incêndios, inundações e tempestades, mais frequentes e mais severos. Para diminuir os riscos associados, a AEA recomenda que se tomem medidas preventivas o mais depressa possível. No estudo não foram considerados terramotos e erupções vulcânicas já que não são eventos meteorológicos.

(Fotos: D. Lodge, W. Hasselmann e M. Held/Unsplash)

Continuar a ler
Home
Radares: onde vão estar instalados os controlos de velocidade da PSP em julho
Lisboa é considerada a cidade mais feliz do mundo
Painéis solares grátis? Descobre como teres acesso