Mobilidade

Testes virtuais de sistemas de ajuda à condução para automóveis com mais realismo

RFpro e Xylon criaram solução de testagem de sistemas de ajuda à condução que une hardware real com ambiente simulado
Colaboração rFpro e Xylon
Colaboração rFpro e Xylon
PUB

Os testes de complexos sistemas para aplicação em automóveis ganharam um novo realismo por meio da colaboração estabelecida entre os profissionais em simulação de condução da rFpro e os especialistas em eletrónica embutida da Xylon. As duas empresas estão a trabalhar em conjunto para dar um novo impulso aos testes de sistemas, tanto em circuito aberto como em circuito fechado, através da conjugação de hardware real com um ambiente simulado.

Numa simulação de software-in-the-loop (SIL), através da troca do modelo de software da Unidade de Controlo do Motor (ECU, na sigla em inglês) por uma ECU física, real, estimulada e monitorizada a partir do simulador de software, é atingido um novo nível de realismo que proporciona maior confiança nos resultados da simulação. Desta forma, os engenheiros de desenvolvimento de sistemas podem assegurar-se de forma mais rápida e com menores custos de que os seus produtos estão prontos para entrar no mercado.

PUB

A criação de um interface flexível, possível de ser adaptado de forma rápida e independente, para assim se adequar a uma ampla variedade de ECU e aplicações de terceiros, foi uma das premissas do projeto conjunto da rFpro e da Xylon.

PUB
PUB

A sua validação foi efetuada por meio da conjugação do software de simulação de condução rFpro, com o módulo de assistência ao estacionamento 360 graus Surround View da Xylon, o qual conjuga a imagem das quatro câmaras colocadas à volta do veículo para criar uma visão aérea e do ambiente circundante, por forma a facilitar as manobras de estacionamento.

Na simulação, as cenas de alta definição da rFpro são reproduzidas utilizando modelos específicos que correspondem com precisão às características de cada câmara de estacionamento, incluindo a distorção da lente olho de peixe.

A informação gerada passa então através da caixa de interface logiRECORDER, da Xylon, convertendo-a em quatro sinais de vídeo que podem alimentar o módulo de hardware num formato idêntico ao das câmaras reais. Este pode, assim, ser testado numa grande variedade de cenários, incluindo situações de iluminação deficiente e condições climatéricas severas, o que permite eliminar, com frequência, a necessidade de testes físicos.

PUB

(Fotos: divulgação)

Continuar a ler
Home
Comprar um veículo elétrico em segunda mão. Prós e contras
Preço dos combustíveis com aumento na 2ª feira
Descobre como a resiliência fará parte das smartcity do futuro