Mobilidade

Teste-piloto usa GPS e câmaras do automóvel para classificar marcações de vias

Projeto do Honda Research Institute USA recolhe dados que são transmitidos aos operadores rodoviários para que possam fazer reparações mais eficientemente
PUB

Os dispositivos de monotorização da faixa de rodagem montados nos modernos automóveis podem vir a ser utilizados para outros fins que não apenas a assistência à condução. O Honda Research Institute USA está a desenvolver um sistema de monitorização que utiliza a tecnologia montada no automóvel para avaliar as condições das estradas, no sentido de detetar possíveis perigos.

Com este novo sistema de análise do estado das estradas, gerado a partir dos veículos, a Honda espera ajudar os operadores rodoviários a monitorizar o estado das marcações das vias de uma forma mais eficiente e rentável e com maior frequência, no âmbito do seu conceito "Segurança para Todos".

PUB

O programa piloto está a decorrer em Ohio, Estados Unidos. É aí que os técnicos do Honda Research Institute avaliam o sistema suportado em localização GPS e sensores, tais como câmaras, para recolher informações sobre o estado das estradas em tempo real, as quais podem ser partilhadas com os operadores rodoviários.

PUB

O projeto que conta com a colaboração do Departamento de Transportes de Ohio deverá começar a produzir efeitos práticos já no início do ano, quando o construtor japonês começar a fornecer os dados sobre o estado das estradas recolhidos a partir dos veículos envolvidos.

PUB

Ao monitorizar as condições de marcação das faixas, o sistema classifica visualmente as linhas à esquerda e à direita do veículo, utilizando quatro cores: verde, amarelo, cinzento e vermelho. A classificação verde indica condições ideais de marcação de faixas e a amarela apenas boas. O sistema apresenta classificações cinzentas quando não existem linhas de faixa e vermelhas se as marcações necessitarem de reparação.

Toda a informação recolhida pelo veículo – coordenadas de longitude e latitude, imagens e vídeos – é então transmitida para uma plataforma segura para análise, à qual os operadores rodoviários podem aceder para identificar a localização, tipo e gravidade das informações sobre o estado da estrada.

O Honda Research Institute está também a explorar de que forma os veículos conectados podem aceder aos dados anónimos para ajustar as definições de perceção dos sistemas avançados de assistência à condução montados nos modelos Honda e Acurara e, se necessário, avisar os condutores se as marcações da faixa de rodagem estiverem gastas ou a precisar de reparação.

PUB

Para além das marcações das faixas, o instituto planeia expandir a aplicação do sistema para monitorizar outros tipos de incidências nas estradas.

(Fotos: Captura do vídeo/Honda e Unsplash)

Continuar a ler
Home
Comprar um veículo elétrico em segunda mão. Prós e contras
Preço dos combustíveis com aumento na 2ª feira
Descobre como a resiliência fará parte das smartcity do futuro