Energia

Suíços votam e dizem não a parques solares gigantescos nos Alpes

Referendo na Suíça impede a construção de novos parques solares nas encostas das montanhas
Texto
Parque solar a 2500 metros AlpinSolar, na Suíça (foto: divulgação)
Parque solar a 2500 metros AlpinSolar, na Suíça (foto: divulgação)

A Suíça pratica uma democracia direta onde a população é chamada com frequência a dar opinião sobre possíveis decisões do poder político através de referendos. Desta vez foram às urnas manifestar a opinião sobre a construção de novos parques solares gigantescos nos Alpes, num momento de grandes preocupações com os efeitos das alterações climáticas.

Em referendo, uma maioria de quase 54% da população dos votantes no cantão de Valais (um dos quatro que compõem a Suíça), votou não e rejeitou a proposta para impulsionar grandes projetos de energia solar nas encostas das montanhas dos Alpes.

A votação, que contou com a adesão de 36% da população, decorreu a 10 de setembro e a maioria dos eleitores recusaram assim a pretensão do governo federal que pretendia acelerar o desenvolvimento de fontes de energia renovável naquele local, através da concessão de subsídios.

solar - away
AlpinSolar é um projeto solar na barragem de Muttsee, Suíça

Os defensores do projeto de construção de megaparques fotovoltaicos acima das linhas de nuvens e com capacidade de mais de 10 gigawatts-hora (10 GWh), clamam pela necessidade de assegurar a transição para a energia limpa. Isto porque, em particular no inverno, as barragens de produção de energia hidroelétrica não conseguem produzir energia devido ao gelo e neve e a Suíça tem necessidade de importar energia, nem sempre com a possibilidade de se garantir uma fonte sustentável.

Mas os opositores, entre eles o Partido Verde de Valais e a organização ambientalista Pro Natura, reclamam que as barragens já constituem um atentado paisagístico, embora sejam um mal necessário, pelo que não seria necessário juntar mais uma atrocidade ou monstruosidade nas encostas das belas montanhas alpinas.

(Abaixo um vídeo de um projeto solar numa barragem nos Alpes):

De acordo com a EuroNews, o departamento federal de energia suíço estima que existem cerca de 40 a 50 propostas para grandes parques solares para todo o país. Estes podem agora ter aprovação comprometida.

Mas a rejeição não destrói totalmente os projetos de parques solares se o setor privado quiser desenvolvê-los. Alguns especialistas dizem que este chumbo via referendo, apenas irá atrasar os projetos numa zona que, pela exposição solar, seria de excelente eficiência e rendimento energético. Isto porque mesmo sem financiamento público (que na verdade foi isso que foi recusado) as empresas privadas poderão avançar com os projetos solares, ainda que com aprovação mais demorada no cantão de Valais.

A Suíça tem planos ambiciosos para o desenvolvimento de energia solar, com uma meta de 2 mil milhões de GWh e emissões nulas até 2050, contando com um massivo orçamento que supera os 3 mil milhões de euros para ajudar na transição energética.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Jogos Olímpicos de Paris vão contar com 500 Toyota Mirai
Hidrogénio e biocombustíveis avançam em projeto da Galp para Sines
Dicas AWAY: Como arrumar louça na máquina de lavar