Sustentabilidade

Argamassa sustentável nasce dos resíduos da Refinaria de Sines

Projeto que junta ISEL e Galp criou argamassa que vai ser usada por empresa de materiais de construção
Texto
Refinaria de Sines da Galp (foto: divulgação)
Refinaria de Sines da Galp (foto: divulgação)

A tua próxima casa pode ter argamassa de economia circular, produzida com recurso a um subproduto gerado na Refinaria de Sines, da Galp. Este material de construção à base de cimento vai ser usado pela Saint-Gobain, uma empresa francesa de materiais de construção.

A argamassa mais sustentável é o resultado do projeto de investigação ECO-Zement que surgiu em 2010 por iniciativa do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e que contou com o financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia e da Galp.

Usada para vários fins na construção, como para a colagem de elementos cerâmicos, a argamassa de economia circular contribui para a redução da pegada ambiental já que preserva recursos naturais não renováveis e reduz as emissões de dióxido de carbono (CO2).

Refinaria de Sines - AWAY
Refinaria de Sines (foto: Pedro Farto/Unsplash)

Além disso, permite à Galp reduzir a quantidade de resíduos gerados e os custos de gestão dos mesmos, que passam assim a ter valor acrescentado.

O subproduto, produzido na unidade de cracking catalítico que faz gasolinas, foi transferido pela primeira vez para a Saint-Gobain Portugal no final de abril.

O projeto ECO-Zement gerou conhecimento e desenvolveu investigação aplicada e competitiva a nível internacional e é uma forma de apoiar as metas e compromissos ambientais.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Cemitérios a produzir energia solar? Projeto está a nascer em Espanha
Hyundai apresenta primeiro camião a hidrogénio com condução autónoma
Segurança rodoviária: 9 peças de roupa a evitar quando se está ao volante