Sustentabilidade

Quem são os 10 maiores poluidores em Portugal? Zero fez as contas

A associação ambientalista Zero divulgou a lista dos maiores poluidores nacionais
Texto
Refinaria de Sines da Galp (Foto: divulgação)
Refinaria de Sines da Galp (Foto: divulgação)

A Petrogal, refinaria da Galp em Sines, é o maior poluidor do país, de acordo com uma lista dos 10 maiores poluidores de Portugal divulgada esta quarta-feira, 7 de junho, pela associação Zero, através da agência Lusa. Nas contas da associação ambientalista, os 10 maiores poluidores nacionais aumentaram 18% as emissões de gases com efeito de estufa (GEE) em 2022.

Para além do crescimento na refinação de combustíveis fósseis, a Zero destaca o aumento das emissões de algumas centrais térmicas a gás natural, um combustível fóssil, para produção de eletricidade e o aumento das atividades do transporte aéreo, em Portugal associadas à TAP, face ao período homólogo.

De acordo com a Zero, a Petrogal em Sines lidera a lista de maiores poluidores pelo segundo ano consecutivo, tendo aumentado as emissões em 16%. No total a refinaria em Sines emite 2,7 milhões de toneladas de GEE, o que representa 5% do total de emissões oficiais no período referido.

refinaria - away
Refinaria Galp (foto: divulgação)

Numa reação à notícia da Lusa a Galp afirma que a liderança neste Top não é uma surpresa, uma vez que “após o encerramento da refinaria de Matosinhos, todas as atividades de refinação ficaram concentradas em Sines, sendo esta responsável pela produção de 85% de todos os combustíveis consumidos em Portugal”, destacou a petrolífera.

Além disso, indicou, “em 2022 verificou-se uma aceleração dos consumos por comparação com os anos anteriores (2020 e 2021), em que ainda estavam em vigor medidas restritivas associadas à pandemia, pelo que a produção da refinaria teve um incremento relativamente aos anos anteriores”.

Top10 de empresas mais poluidoras em Portugal

No relatório publicado pela associação ambientalista, esta salienta que o setor da refinação, produção de eletricidade a partir da queima de gás natural fóssil, o cimento, o transporte aéreo e a produção de olefinas (hidrocarbonetos) completam o “top 10” dos maiores poluidores do país.

  1. Petrogal, refinaria Galp em Sines
  2. Elecgás - Central de ciclo combinado do Pego, com mais 48% de emissões do que em 2021
  3. Turbogás - Central de ciclo combinado do Outeiro, que não aumentou as emissões
  4. EDP – Central termoelétrica do Ribatejo, com mais 51% de emissões
  5. Cimpor – Centro de produção de Alhandra, com mais 28% de emissões
  6. TAP, que aumentou as emissões em 91% em relação a 2021
  7. Cimpor de Souselas, com redução de emissões
  8. Secil do Outão, maior redução de emissões
  9. EDP – Central Termoelétrica de Lares, com um aumento de 13% de emissões
  10. Repsol – Polímeros, que reduziu as emissões em 22%.

Ao todo, as 10 empresas mais poluentes do país emitiram em 2022 mais de 12 milhões de toneladas de dióxido de carbono (12.0971.176), quando em 2021 tinham emitido 10,2 milhões, o que representa um aumento de 18%.

“Estes números implicarão muito provavelmente um aumento no total de emissões do país relativas ao ano de 2022 e que ainda estão em fase de inventário”, diz a Zero.

central - away
Central Termoelétrica do Pego, Abrantes (foto: Arquivo AWAY)

Como a Zero fez as contas

Para elaborar a lista, a associação ambientalista usou dados disponibilizados pelo registo de emissões associado ao Comércio Europeu de Licenças de Emissão (CELE).

O CELE integra as principais unidades de setores fortemente emissores de emissões de carbono, nomeadamente centrais térmicas, refinação, cimento, pasta de papel, vidro, entre outras, nota a Zero, explicando que em Portugal há 145 empresas que declararam emissões em 2022 no âmbito do CELE.

A associação diz ainda que, no caso das centrais térmicas utilizando combustíveis fósseis, todas as licenças de emissão têm de ser adquiridas (compradas em leilão), enquanto noutros setores uma grande parte das licenças é oferecida gratuitamente e a restante tem de ser adquirida.

Nos últimos meses, o custo da tonelada de dióxido de carbono tem estado acima dos 80 euros no mercado europeu. O dióxido de carbono é o principal gás com efeito de estufa que causa alterações climáticas.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Férias à vista: estas praias portuguesas têm as águas mais limpas do país
Legumes e frutas a estragar? Vê como prolongar a sua vida e evitar que acabem no lixo
5 dicas para usares tecnologia de forma ambientalmente responsável