Opinião
André Mendes
Concebido logo após o 25 de abril de 1974 e nascido em Lisboa, refugiou-se na Ajuda para passar o seu primeiro quarto de século. Quando a família cresceu, mudou para a outra margem do Tejo e foi viver para perto da praia e para longe do trânsito. Já teve dois filhos, plantou uma árvore e escreveu milhões de carateres desde que entrou no mundo do jornalismo automóvel há mais de 20 anos, porque conduzir é uma das suas maiores paixões.

É oficial. Chegou o frio, a chuva e o ambiente natalício mais familiar

Assim que o calor alivia, começa-se a apostar quem lança as primeiras ideias de Natal, mas este ano nem demos por isso
Natal (Foto: S. Mauricio/Unsplash)
Natal (Foto: S. Mauricio/Unsplash)
PUB

Com a chegada do frio e com o cair das folhas, inicia-se também a contagem decrescente para a festividade mais familiar de todo o ano. E este ano, parece que vamos mesmo ter autorização de o celebrar num formato mais aproximado ao de anos anteriores, em que ainda não havia uma tal de pandemia. Isto, se os números não continuarem a subir como nos últimos dias e o próximo Natal seja ainda mais caseiro do que gostaríamos.

A enorme vontade de regressar a tempos menos inibidores, até nos deixa com vontade de nos fazermos à estrada para ir ter com a família, ou preocupados com a organização de tudo o que será preciso para a ceia de Natal, ou de como vamos construir a árvore e pendurar todos os enfeites. Os mais aventureiros podem mesmo até conseguir uma réstia de coragem para enfrentar um centro comercial nesta altura do ano, em busca daquela prenda mais desejada, ainda que isso represente um gasto exagerado, mas muito compensador depois de ver o sorriso e a alegria que provocou. As ruas e avenidas estão já iluminadas e ainda se nota o cheiro das castanhas assadas.

PUB
PUB

Mas… Juízo.

PUB

Esta é também a altura do ano em que as condições climatéricas podem fazer com que a condução não seja tão fácil como em diversos outros meses do ano, uma vez que requer muito mais concentração. Conduzir à mesma velocidade a que está tão habituado, pode trazer elevadas doses de risco para si, para quem viaja consigo e para todas as outras pessoas que andam na estrada. Ainda que, muitas vezes, ainda se assista a carros a desviarem-se ligeiramente da faixa, pois o condutor está com mais atenção ao telefone do que ao que se passa à sua volta.

Além disso, a quantidade de coisas que ainda tem de fazer naquele dia parece não diminuir e o stress que isso provoca acaba por transformar um momento de condução que podia ser tranquilo, em algo ainda mais cansativo, que o deixa mais nervoso e irritado, ao ponto de gritar com quem está no banco de trás apenas a querer chamar à atenção porque está a achar a viagem uma seca. Acontece milhares de vezes, há vários estudos que o comprovam.

Mas se fizermos todos um esforço e respirarmos fundo antes de cada viagem, conseguirmos fazer tudo com mais calma. E muitas vezes, não é obrigatório fazer tudo, apenas uma coisa de cada vez até que se chegue ao ponto do: “isto, vou ter mesmo de deixar para amanhã”. Afinal, somos pessoas e não máquinas, ainda que haja tanta gente esquecida disso.

PUB

Feche os olhos uns segundos, respire fundo e escolha uma música tranquila antes de arrancar, seja para uma deslocação de cinco minutos ou de diversas horas. Aproveite o Natal com o máximo de segurança, aproveite os momentos em família ou com os amigos, procure as pessoas que estão mais isoladas e que também precisam de conforto e carinho. E se não tiver paciência para centros comerciais, as compras online ficaram melhores que nunca depois da pandemia, com preços bem apetecíveis e boas alternativas na grande maioria dos casos.

Mas acima de tudo isto, façam-me o favor de ter um excelente Natal, pleno de alegria!

Estamos todos a merecer ter um daqueles memoráveis!

 André Mendes escreve esta crónica a convite da AWAY Magazine

Continuar a ler
Home
Comprar um veículo elétrico em segunda mão. Prós e contras
Preço dos combustíveis com aumento na 2ª feira
Descobre como a resiliência fará parte das smartcity do futuro