Mobilidade

Whoosh analisa tendências de utilização de trotinetes elétricas em Lisboa

No primeiro mês foram percorridos mais de 170 mil quilómetros e maioria dos utilizadores usam trotinetes na rotina diária
Texto
Trotinetes elétricas Whoosh
Trotinetes elétricas Whoosh

Depois de um mês em operações em Lisboa, a recém-chegada marca de micromobilidade Whoosh apresentou alguns dados relativos à utilização das suas trotinetes elétricas.

Nos primeiros 30 dias, foram percorridos 170 mil quilómetros, o que equivale a 555 viagens entre Lisboa e Porto. Dividindo este valor pelas duas mil trotinetes da Whoosh, significa que cada uma fez cerca de 2,8 km por dia.

Os dados em relação aos utilizadores da Whoosh mostram que cerca de 80% de quem utiliza as trotinetes elétricas da empresa fazem-no nas suas rotinas diárias e não como forma de passeio.

A grande maioria dos utilizadores são jovens adultos e trabalhadores ativos – 57% estão na faixa etária entre os 25 e os 44 anos. Logo de seguida, os que mais utilizam são jovens entre os 18 e os 24 anos (25%) e só depois pessoas com mais de 45 anos (18%).

Em Portugal e com as trotinetes da Whoosh parece verificar-se a disparidade de género neste meio de transporte, sendo que 79% dos utilizadores são homens.

A Whoosh destaca ainda que 40% dos utilizadores optaram por fazer a assinatura do serviço, sendo que grande parte deste grupo escolheu o passe mensal. 

As trotinetes elétricas da Whoosh chegaram a Lisboa no final de julho e, de acordo com a empresa, distinguem-se por terem velocidade máxima de 25 km/h, sendo que há zonas onde a velocidade máxima é automaticamente reduzida para 20 km/h.

Além disso, a Whoosh tem parques de estacionamento virtuais de forma a garantir que as trotinetes não atrapalham veículos nas estradas ou pessoas nos passeios.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
TAP encomenda dezenas de BMW enquanto recebe dinheiro do estado
Benfica vs PSG condiciona trânsito em Lisboa. Vê aqui tudo
Comboio de alta velocidade a hidrogénio arranca em Espanha em 2023