Mobilidade

Trabalhadores da Carris em greve terça-feira, 22 de março

Paralisação ocorre das 10h às 15h de terça-feira, estando prevista a realização de um plenário para a mesma hora
Texto
Carris em greve
Carris em greve

Amanhã, dia 22 de março, os trabalhadores da Carris vão estar em greve entre as 10h e as 15h. A paralisação serve para exigir melhores salários e direitos que valorizem e dignifiquem as profissões, refere a Lusa. À mesma hora, irá realizar-se um plenário.

Serão garantidos os serviços mínimos, com o carro do fio, que faz a manutenção da rede aérea dos elétricos, e o carro pronto-socorro para eventuais avarias operacionais, assim como o serviço de transporte de cidadãos com mobilidade reduzida e os postos médicos.

Autocarro Carris (Associated Press/Armando Franco)

O pré-aviso de greve substitui a forma de convocação de plenário geral uma vez que, de acordo com Manuel Oliveira, do Sindicato Nacional dos Motoristas e Outros Trabalhadores (SNMOT), citado pela Lusa, quando foi agendado o plenário em fevereiro, a Carris, que é gerida pela Câmara Municipal de Lisboa desde 2017, optou por marcar faltas injustificadas aos trabalhadores.

Este plenário terá como objetivo discutir as atualizações salariais, já que a proposta de atualização salarial de 20 euros da Carris não é considerada suficiente pelos sindicatos.

O Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal (STRUP) defende um aumento de 90 euros para todos os trabalhadores, e o SNMOT defende que se siga o índice percentual do salário mínimo nacional, ou seja, uma subida no ordenado de 6,01%.

Esta não é a primeira greve nos transportes públicos em Lisboa este mês. Nos dias 11 e 18 de março, os trabalhadores da Metropolitano de Lisboa cumpriram greves parciais. 

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
5 formas de aproveitares as borras de café e dar-lhes uma nova vida
Bolt já fez mais de 600 mil quilómetros com animais a bordo em Portugal
Mundo vive branqueamento em massa de corais pela segunda vez em 10 anos