Mobilidade

Salas misteriosas: Renault mostra o interior das suas câmaras anecoicas

Salas para realização de testes acústicos e eletromagnéticos fazem parte do Centro Técnico de Aubevoye, em França
Salas misteriosas da Renault
Salas misteriosas da Renault

Já ouviste falar em câmaras anecoicas? Tratam-se de recintos fechados cujas paredes estão forradas de material absorvente de som, de forma que este sofra uma reflexão mínima. A Renault chama-lhes “salas misteriosas” e as suas ficam situadas no Centro Técnico de Aubevoye, França. É lá que, isolados de todas as ondas sonoras ou interferências eletromagnéticas, os protótipos dos próximos automóveis da marca são submetidos a vários testes.

O complexo de testes e engenharia da Renault, no qual trabalham cerca de 1000 colaboradores, estende-se por mais de 600 hectares de terreno isolado do público. Inclui quase 60 km de pistas, 44 zonas de ensaios, dois túneis de vento, 18 câmaras de corrosão e instalações de outras tipologias, como as câmaras anecoicas.

Uma delas tem as paredes e o teto cobertos com painéis de espuma de prismas horizontais e verticais. As formas salientes dissipam as ondas sonoras em vez de as refletir, removendo qualquer eco da sala. Não se ouve absolutamente nada. No centro está o novo Renault Mégane E-TECH Electric, rodeado por uma centena de microfones de alta qualidade, a realizar um teste acústico.

"Medimos a insonorização do automóvel em relação ao ruído gerado pelo motor, pneus ou qualquer outra coisa nas proximidades", explica Stéphane, Responsável de Acústica e Vibrações do Grupo Renault. "É aqui que afinamos a insonorização e trabalhamos em todos os ruídos que compõem a experiência acústica do utilizador: som das portas, avisos e alarmes sonoros, música e muito mais", completa.

É também no âmbito destes testes que é desenhado o Som de Automóvel para Peões (VSP na sigla em inglês) dos modelos elétricos, cuja função é alertar os peões para a aproximação do veículo a baixa velocidade. Um processo que começou com o modelo Zoe e que agora tem continuidade no Mégane E-TECH Electric e em futuros modelos Renault.

O Centro Técnico de Aubevoye alberga igualmente a câmara de imunidade, na qual os modelos do construtor francês são submetidos a testes eletromagnéticos extremos. Com paredes revestidas com painéis brancos colocados sobre uma espessa camada de isolamento, esta sala alberga uma série de antenas que enviam ondas eletromagnéticas de intensidades e frequências variáveis na direção do automóvel.

O objetivo é garantir que os campos eletromagnéticos a que este irá ser exposto na estrada não interferem com o seu normal funcionamento.

No total, as várias câmaras anecoicas e laboratórios de análise que compõem o Centro Técnico de Aubevoye acolhem mais de mil sessões de testes por ano.

Continuar a ler
Home
Combustíveis: gasóleo vai finalmente descer na próxima segunda-feira
Supervan desportiva de entregas rápidas com 1.470 kW
Carros elétricos usados. Uma boa opção? O que ter em conta?