Mobilidade

Mercedes bate Tesla e torna-se primeira marca autorizada a implementar condução autónoma

Esta autorização ocorreu na Alemanha, mas a Mercedes-Benz quer estender ao mundo inteiro. O Drive Pilot será introduzido nos Classe S e EQS
Condução autónoma da Mercedes-Benz
Condução autónoma da Mercedes-Benz
PUB

A Mercedes-Benz acaba de ser autorizada pela Autoridade Federal Alemã para o Transporte Automóvel (KBA) a equipar os veículos com o seu sistema de condução autónoma, denominado Drive Pilot, para utilização em estrada. A tecnologia ficará disponível nos modelos Classe S e EQS em meados do próximo ano.

O construtor alemão foi o primeiro na Europa a obter aprovação para a utilização de um sistema de condução autónoma de nível 3, o que o coloca em clara vantagem face aos seus concorrentes, nomeadamente a Tesla, cujo sistema de piloto automático é de apenas nível 2.

PUB

No nível 3 de condução autónoma o veículo pode iniciar automaticamente manobras de ultrapassagem, manobras evasivas ou de emergência, bem como acelerar e travar se assim necessário. O sistema, que recorre a avançada tecnologia de inteligência artificial, reconhece no entanto os seus limites e, em caso de existirem situações não contempladas nos milhares de dados incorporados, o condutor deve ser capaz de retomar o controlo do automóvel de forma imediata. Ou seja, no nível 3 continua a ser obrigatória a presença do condutor no seu lugar.

PUB
PUB

Os condutores poderão ativar o Drive Pilot através dos botões situados no volante e tirar as mãos deste, ficando disponíveis para realizar outras tarefas, tais como efetuar compras on-line ou responder a e-mails, conforme sugere a Mercedes-Benz.

A utilização do sistema está, contudo, condicionada a situações de tráfego intenso e até uma velocidade máxima de 60 km/h. Também só poderá ser ativado em determinados troços das autoestradas alemãs, cuja distância totaliza 13.191 quilómetros.

Para funcionar, o Driver Pilot recorre aos sistemas de assistência à condução que já equipam os modelos Mercedes-Benz, aos quais se juntam outros equipamentos como sensores LiDAR, uma câmara no vidro traseiro e um microfone para detetar luzes e outros sinais especiais de veículos de emergência, e ainda um sensor de humidade na cava da roda.

O sistema controla a velocidade e a distância e guia o veículo dentro da sua faixa de rodagem, tomando em consideração o perfil da rota, os eventos que ocorrem na estrada e os sinais de trânsito. Está preparado para reagir a situações inesperadas de tráfego e tratá-las de forma independente para, por exemplo, realizar manobras evasivas dentro da faixa de rodagem ou manobras de travagem.

PUB

Com a aprovação da utilização do sistema na Alemanha, a Mercedes-Benz prepara-se para estender a sua aplicação a outros mercados, nomeadamente aos Estados Unidos e à China, países nos quais já estão em curso extensos ensaios, embora tal avanço esteja dependente da aprovação das autoridades locais.

(Fotos: divulgação)

Continuar a ler
Home
Dias negros para quem precisa de abastecer. Combustíveis vão subir
Inspeção às motas à espera do novo governo
Devo comprar um carro elétrico? Prós e contras!