Mobilidade

Condução autónoma provoca-te desconfiança? Resposta está na educação

Estudo no Reino Unido mostra que a maioria dos condutores não está confortável com a ideia de o automóvel conduzir sozinho
Texto
Estudo mostra opinião das pessoas sobre condução autónoma
Estudo mostra opinião das pessoas sobre condução autónoma

Os veículos com capacidade de condução autónoma geram-te alguma desconfiança? Sentes que terias receio de tirar as mãos do volante enquanto o automóvel faz tudo por ti? Pois fica a saber que não és a única pessoa a pensar assim. Muito pelo contrário.

A grande maioria dos condutores ainda perceciona a condução autónoma como algo perigoso, no qual não se pode confiar totalmente, conforme prova o estudo desenvolvido pela IAM Roadsmart, no Reino Unido.

Na investigação que fez para o seu Relatório Anual de Cultura de Segurança, a qual avalia as atitudes dos condutores em relação às principais questões de segurança rodoviária, a maior instituição independente de segurança rodoviária do Reino Unido concluiu que 59% dos condutores inquiridos são da opinião de que a crescente capacidade dos veículos para circularem sem a ajuda do condutor constitui um sério risco para a sua segurança pessoal.

O documento indica que a maioria dos condutores não estão, de facto, prontos para tirar as mãos do volante com o automóvel em movimento, apesar do enorme investimento que a indústria automóvel está a fazer na condução autónoma e de esta tecnologia ter muito potencial para melhorar a segurança rodoviária.

E se em função da faixa etária não se registaram grandes discrepâncias nas opiniões, o mesmo não se pode dizer ao nível do género, já que as preocupações em torno da condução autónoma parecem afetar particularmente as mulheres, com 67% das inquiridas a classificarem a tecnologia como uma ameaça.

Como pode então a condução autónoma gerar mais confiança junto dos condutores e, assim, contribuir para diminuir os índices de sinistralidade? Para a IAM Roadsmart a resposta está na educação.

Para que esta confiança seja conquistada, recomendamos que a educação adequada sobre a tecnologia de autonomização seja incluída no teste de condução, dando aos condutores a oportunidade de aprenderem como funciona, o que, pelo menos, contribuirá de alguma forma para aliviar as ansiedades que muitos, compreensivelmente, ainda sentem”, comentou Neil Greig, diretor de política e Investigação da IAM RoadSmart.

(Fotos: divulgação e Unsplash)

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Plano da União Europeia vai ajudar a salvar as abelhas
Base logística do Intermarché já tem painéis solares fotovoltaicos
Antártida tem um novo iceberg 15 vezes maior do que Lisboa