Mobilidade

Goodyear apresenta pneus com 90% de materiais sustentáveis

Empresa de pneus quer reduzir pegada ambiental e vai lançar este ano pneus mais sustentáveis
Texto
A sustentabilidade tem de ser uma preocupação atual (foto: Pok Rie/Pexels)
A sustentabilidade tem de ser uma preocupação atual (foto: Pok Rie/Pexels)

A Goodyear está a apostar na sustentabilidade e apresentou um novo pneu composto por 90% de materiais sustentáveis, entre eles óleo de soja, poliéster reciclado e resinas biorrenováveis de pinheiro.

Esta nova proposta surge apenas numa versão de demonstração. Ainda assim, passou em todos os testes reguladores, assim como nos testes internos da marca.

pneus Goodyear - away
Pneus com materiais sustentáveis da Goodyear (foto: divulgação)

Uma das grandes vantagens deste pneu da Goodyear é que apresentou uma resistência baixa no rolamento em comparação com o pneu de referência. Isto significa que poderá permitir consumos mais baixos, melhorando a autonomia do veículo, ao mesmo tempo que, em veículos com motores de combustão interna, poderá permitir uma redução na pegada carbónica.

Pneus sustentáveis Goodyear
Pneus com materiais sustentáveis da Goodyear (foto: divulgação)

Depois de ter dado a conhecer um pneu com 70% de matérias sustentáveis em janeiro de 2022, a Goodyear tem estado a trabalhar com os seus fornecedores para começar a vender este produto ainda em 2023.

A possibilidade de avançar com a versão com 90% de materiais sustentáveis em grandes volumes irá depender da base de fornecimento.

Pneus sustentáveis Goodyear - AWAY
Pneus com 70% de materiais sustentáveis (foto: divulgação)

A Goodyear está a trabalhar para ser a primeira empresa de pneus a usar apenas materiais sustentáveis até 2030 e tem apresentado alguns produtos mais amigos do ambiente.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Barco à vela produzido com algas e plástico reciclado inspira o futuro
Comer carne ou ser vegan? Qual a dieta com menos emissões de carbono?
Limitar o aquecimento global a 1,5ºC parece tarefa impossível diz novo estudo