Mobilidade

Inovação, tecnologia e alta performance em superdesportivo a hidrogénio

Hopium Machina bebe inspiração na competição e procura altas prestações em um design avassalador e combustível sustentável

O francês Olivier Lombard tem no palmarés desportivo a vitória em 2011, como piloto mais novo de sempre, nas míticas 24 horas de Le Mans na categoria LMP2. Agora com apenas 32 anos tornou-se empreendedor e fundou a HMC com que pretende transmitir todo o DNA da competição, mas com novos valores em termos ambientais.

Nasceu assim a HMC (Hydrogen Motive Company), que pretende construir veículos de alta performance movidos a hidrogénio prometendo uma pegada ambiental neutra desde a produção à distribuição.

O primeiro modelo designa-se Hopium Machina e é alimentado através de pilha de combustível de hidrogénio. Foi revelado o ano passado e já se encontra em fase avançada de testes, com o nome de código Alpha Zero, com a empresa a anunciar velocidade máxima de 230 km/h.

De acordo também com as informações disponíveis até ao momento o Hopium Machina Alha Zero possui um sistema elétrico com 375 kW de potência (cerca de 500 cavalos de potência) e foi estudado para permitir uma autonomia superior a mil quilómetros.

À imprensa a marca francesa indica que o Machina precisará apenas de 3 minutos num carregador superrápido para atingir uma carga de 80 por cento da capacidade.

O Hopium Machina já tem encomendas abertas no site oficial da empresa e permite uma reserva a partir de 400 euros online. O pior é que as entregas estão apenas previstas para 2024 e produção será limitada a mil exemplares.

Continuar a ler
Home
Ponte Vasco da Gama encerrada ao trânsito a partir das 23 horas de hoje
E se fosses de balão ao espaço? Descobre aqui o preço de uma viagem de 6 horas
Alterações climáticas impactam nascimento das tartarugas