Mobilidade

Nova greve nos comboios causa atrasos e supressões até dia 30 de junho

Trabalhadores da CP voltam a fazer paralisação para reivindicar aumentos salariais na ordem dos 90 euros
CP - Comboios de Portugal (Foto: N. Silva/Flickr)
CP - Comboios de Portugal (Foto: N. Silva/Flickr)

Depois da greve de 24 horas no dia 16 de maio e de duas paralisações parciais, uma na zona urbana do Porto, a 23 de maio, e outra na zona urbana de Lisboa, a 27 de maio, os trabalhadores da CP – Comboios de Portugal preparam-se para fazer grevede 3 a 30 de junho.

O pré-aviso de greve já tinha sido entregue, e agora a CP alertou, através de um comunicado no site, que, a partir de sexta-feira, 3 de junho, e até 30 de junho, esperam-se “perturbações em todos os serviços, […] nomeadamente atrasos e supressões de comboios”.

Estação do Oriente (Foto: N. Boorgard/Flickr)

A empresa de transportes refere ainda que os clientes que já tenham bilhetes para os comboios dos serviços Alfa Pendular, Intercidades, Internacional, InterRegional e Regional, poderão pedir o reembolso no valor total do bilhete ou a sua revalidação, “sem custos”. Os pedidos podem ser feitos até dez dias depois de terminada a greve.

De acordo com o Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário (SNTSF), durante este mês de junho, será feita greve ao trabalho extraordinário, em dia de feriado e em dia de descanso semanal, assim como ao trabalho com falta de repouso nos temos do AE e a partir da oitava hora de serviço.

Esta greve, tal como as anteriores que ocorreram em 2022, reivindica aumentos salariais, sendo que os trabalhadores pedem uma subida de 90 euros no vencimento, contratação coletiva, passagem a efetivos dos trabalhadores com contrato a termo certo e admissão de trabalhadores.

Continuar a ler
Home
Conferência dos Oceanos 2022 em Lisboa até 1 de julho
Subida de água no planeta. Vê aqui este projeto de sensibilização em Copenhaga
Estão a aparecer microplásticos em gelo na Antártida