Mobilidade

Nissan foca-se na eletrificação com o lançamento de 23 modelos até 2030

Construtor japonês prepara-se para lançar 15 automóveis elétricos, desenvolver baterias sem cobalto e introduzir baterias de estado sólido
PUB

A Nissan acaba de revelar a Ambition 2030, a sua estratégia de mobilidade para a presente década que tem a eletrificação como ponto central. Ao longo dos próximos dez anos, a marca japonesa irá lançar 23 novos modelos eletrificados, incluindo 15 automóveis elétricos, com o objetivo de atingir um mix nas suas gamas superior, entre as duas marcas Nissan e Infiniti.

Ao colocar a eletrificação no centro da sua estratégia a longo prazo, o construtor pretende ainda apostar forte no desenvolvimento tecnológico de soluções que permitam acelerar essa transformação, o que, juntamente com o lançamento de novos modelos, vai implicar um investimento de qualquer coisa como 15 mil milhões de euros no decorrer dos próximos cinco anos.

PUB
Nissan Max-out
PUB

Só até 2026, a Nissan planeia lançar 20 novos modelos, entre totalmente elétricos e híbridos. Com esta medida, o fabricante japonês espera que os seus modelos eletrificados obtenham uma maior predominância nas vendas face aos modelos a combustão nos principais mercados mundiais: mais de 75% das vendas na Europa, mais de 55% no Japão e mais de 40% na China. Para os Estados Unidos os objetivos são mais alargados ao nível do prazo – 40% das vendas de veículos com propulsão elétrica até 2030.

PUB
Nissan Surf-out

Como forma de reforçar o seu compromisso com a transição para a mobilidade elétrica, a Nissan deu também a conhecer quatro novos protótipos que usam a energia elétrica como forma de propulsão, os quais adotam nomes curiosos em função dos estilos de vida a que se destinam.

O Max-out é um descapotável de dois lugares; o Surf-out é uma pick-up com amplo espaço de carga e características todo-o-terreno; o Hang-out é um familiar que privilegia a habitabilidade e a modularidade interior; o Chill-out é um crossover moderno que poderá ser o primeiro a chegar ao público.

Nissan Hang-out

O construtor japonês vai também focar-se no desenvolvimento de baterias, o “coração” dos automóveis elétricos. A estratégia passa por continuar a evoluir as baterias de iões de lítio e por introduzir a tecnologia livre de cobalto, como forma de reduzir o custo de produção em 65% até 2028.

Nissan apresenta Ariya, o novo crossover elétrico

Além disso, a Nissan pretende aplicar as suas baterias de estado sólido em modelos elétricos a lançar até ao mesmo ano, o que vai implicar a construção de uma fábrica piloto em Yokohama, Japão, em 2024.

PUB
Nissan Chill-out

A Nissan assegura que as baterias de estado sólido permitem reduzir o tempo de carregamento para um terço, ao mesmo tempo que tornarão os veículos elétricos mais eficientes e acessíveis, já que o conjunto deverá reduzir o seu preço para os 66€ por kWh até 2028 e, mais tarde, para os 57€ por kWh.

Em conjunto com os seus parceiros, a marca nipónica pretende aumentar a sua capacidade global de produção de baterias para 52 GWh até 2026, e para 130 GWh até 2030.

Continuar a ler
Home
Tão giro! O Microlino tem 230 km de autonomia e é perfeito para as cidades
Empresa chinesa quer arrancar com táxi aéreo na Europa em 2025
Este é o carregador elétrico mais rápido do mundo