Mobilidade

Flexibilidade é o principal motivo para início de atividade de 67% dos estafetas na Europa

Estudo da Copenhagen Economics destaca algumas das características da atividade de quase 250 mil estafetas de food delivery na Europa
Estafeta entregas
Estafeta entregas
PUB

Estafetas de food delivery destacam a flexibilidade de horários. Esta é uma das conclusões de um estudo levado a cabo pela Copenhagen Economics.

Os resultados do estudo solicitado pela Delivery Platforms Europe, que envolveu mais de 16 mil estafetas de food delivery com origem de 24 países europeus foram agora publicados. Entre os principais objetivos deste trabalho estava a possibilidade de compreender um pouco melhor o que motiva estas pessoas a desempenhar esta atividade e as principais razões da sua escolha.

PUB

A primeira palavra referida e que nos chamou mais a atenção é a flexibilidade. É esta a razão que leva 67% dos inquiridos a optarem pelo trabalho com plataformas de entrega, uma vez que lhes permite uma maior liberdade em termos de gestão de horário e a possibilidade de poderem trabalhar quando e onde quiserem. Além disso, o acesso a esta função através das plataformas digitais ligadas a este sector também é bastante simples, o que simplifica o início da atividade.

PUB

Depois de analisadas as respostas, verificou-se que a grande maioria dos estafetas de food delivery (72%) desempenha esta função como uma atividade complementar a estudos (34%) ou mesmo a outro tipo de atividade profissional (34%), seja em part-time ou a tempo inteiro. O tempo de trabalho por semana ronda as 23 horas, sendo que metade do rendimento (54%) destes estafetas é gerado a partir do trabalho que efetuam para estas plataformas de distribuição.

PUB

Por entre as respostas disponíveis também é fácil perceber que a maior parte dos estafetas (69%) prefere um tipo de trabalho com esta mesma flexibilidade em vez de uma solução com um horário fixo e predeterminado. Mesmo que isso se traduzisse num rendimento superior em cerca de 15%.

Segundo as informações divulgadas, se esta flexibilidade de horário fosse substituída por uma menos flexível e com horas predeterminadas pelas plataformas, teríamos cerca de 100.000 ou 150.000 estafetas a ser forçados a desistir desta atividade. E com uma obrigação de horas de trabalho mais elevada, este número poderia passar para os 250 mil.

O sistema de entregas através destas plataformas digitais oferece cerca de 375 mil oportunidades de trabalho e a sua dimensão é cada vez maior. Em 2020, por exemplo, os consumidores fizeram cerca de 19,4 milhões de pedidos por semana, o que representa cerca de 20 mil milhões de euros em receitas para os estafetas durante o ano.

 

(Foto: Brett Jordan / Unsplash, captura CE)

Continuar a ler
Home
Comprar um veículo elétrico em segunda mão. Prós e contras
Preço dos combustíveis com aumento na 2ª feira
Descobre como a resiliência fará parte das smartcity do futuro