Mobilidade

Estudo da J.D.Powers revela: qualidade de veículos novos desceu 11%

Veículos elétricos e híbridos deram mais problemas do que os a combustão, revela um estudo realizado nos EUA
Carro em construção (Foto: Pixabay)
Carro em construção (Foto: Pixabay)

A qualidade de novos veículos decresceu 11% nos primeiros meses deste ano comparativamente ao ano passado, e são os veículos elétricos e híbridos plug-in que estão a dar mais dores de cabeça aos donos.

A conclusão é apresentada pela J.D. Powers, uma empresa de análise e consultoria, que acredita que as dificuldades na cadeia de abastecimento, especialmente a falta de microchips, são das principais causas do problema.

De acordo com o Estudo Inicial de Qualidade nos Estados Unidos da J.D. Powers, que analisou dados entre fevereiro e maio deste ano, a média de problemas por 100 veículos (PP100) aumentou de 162 para 180 PP100 entre 2021 e 2022, uma subida de 11%.

A empresa de análise refere, em comunicado, que ao longo dos anos, a qualidade dos veículos tem vindo a aumentar e que o decréscimo este ano, apesar de ser “desapontante”, é compreensível. O impacto da pandemia nas cadeias de fornecimento e no aumento dos preços dos carros parece estar diretamente ligado à qualidade dos veículos este ano.

A General Motors, que detém as marcas de automóveis Chevrolet, Buick, GMC e Cadillac, foi a que conseguiu a melhor posição entre os vários grupos, sendo que a Buick foi a marca que teve menos problemas, com 139 PP100, menos 41 PP100 do que a média da indústria.

Entre as marcas analisadas, as que deram menos problemas nos primeiros meses de 2022 foram a Buick, a Dodge (143 PP100) e a Chevrolet (147 PP11), nenhuma delas disponível em Portugal. Entre as marcas que ocupam os últimos lugares, neste estudo realizado nos Estados Unidos da América, estão a Audi (230 PP100), Maserati (239 PP100), Volvo (256 PP100) e Chrysler (265 PP100).

Um dos pontos-chave destacados pelo estudo é que os veículos de marcas mais comerciais têm dado menos problemas do que de marcas consideradas premium. A justificação encontrada pela J.D. Powers é o facto de que quem opta por um veículo de uma marca premium, normalmente pede mais tecnologia o que torna mais complexo o processo de fabrico.

Veículos elétricos e híbridos plug-in são os que dão mais problemas

De acordo com o estudo da J.D. Powers, os donos de veículos elétricos ou híbridos plug-in identificaram mais problemas do que quem tem um automóvel a gasolina ou gasóleo.

Os veículos a combustão interna tiveram uma média de 173 problemas por 100 veículos, enquanto os híbridos plug-in tiveram 239 PP100, um número consideravelmente mais alto. Os elétricos ficam ainda em pior posição, com 240 PP100

Na análise da J.D. Powers aparecem apenas duas marcas 100% elétricas: a Tesla e a Polestar, sendo que a primeira tem 226 PP100 e a segunda, 328 PP100. Ambas não fazem parte do ranking por não serem elegíveis para tal, de acordo com a empresa que desenvolveu o estudo.

O Estudo Inicial de Qualidade nos Estados Unidos da J.D. Powers é desenvolvido há 36 anos e é baseado num questionário que é feito a compradores e locatários de novos veículos.

Este ano, entre fevereiro e maio, responderam 84.165 pessoas a um questionário composto por 223 perguntas divididas por nove categorias: infoentretenimento; funcionalidades, controlos e displays; exterior; assistente de condução; interior; lugares; experiência de condução; climatização; e motor.

Continuar a ler
Home
Preço dos combustíveis para a próxima semana com nova descida
E-bike analisa o nível de poluição no ar enquanto pedalas
E se fosses de balão ao espaço? Descobre aqui o preço de uma viagem de 6 horas