Mobilidade

Ao volante do Nissan X-Trail e-Power: o que mais impressionou

Fomos experimentar o SUV eletrificado que nos marcou pela suavidade de condução e as soluções a pensar na família
Texto

O novo Nissan X-Trail e-Power é uma das mais recentes propostas de automóveis eletrificados desenvolvidos pelo construtor japonês. Assume-se como o único SUV familiar eletrificado e com tração integral de sete lugares no mercado português e nós fomos testá-lo.

São muitas as características que fazem do X-Trail um automóvel a ter em conta quando se procura espaço a bordo, conforto, disponibilidade de motor e segurança. Uma das publicitadas pela Nissan é o facto de pagar classe 1 nas portagens, independentemente da versão. Mas só com Via Verde.

Nissan X-Trail e-Power - AWAY
Nissan X-Trail e-Power (foto: AWAY/ DR)

De facto, não dispondo de identificador, há alguma confusão sobre a classe a aplicar a este modelo, como tive oportunidade de verificar. Efetuei várias passagens em portagem, com portageiro ou com máquina automática, e numas vezes paguei classe 1, noutras classe 2. Por isso, o melhor mesmo é usar Via Verde.

Questão burocrática resolvida, vamos então ao que mais nos impressionou no Nissan X-Trail e-Power que testámos. No caso, a versão e-4orce (tração integral) de sete lugares com o nível de equipamento Tekna+ (o modelo está também disponível em versões de cinco lugares com tração 4x2), cujo preço de venda é de 59.210€.

Nissan X-Trail e-Power - AWAY
Nissan X-Trail e-Power (foto: AWAY/ DR)

Motorização com sistema e-drive

A Nissan sublinha que este X-Trail com tecnologia de eletrificação e-Power se conduz como um elétrico e, de facto, assim é. Embora equipado com um motor a gasolina de 1,5 litros com 158 kW (213 cv) de potência, não é este que faz as rodas moverem-se. Pelo menos de forma direta.

O motor a gasolina serve, isso sim, para alimentar a bateria que, por sua vez, dá energia ao motor elétrico responsável pela locomoção deste SUV de generosas dimensões. Não é necessário, portanto, ligá-lo à ficha para carregar – uma enorme vantagem.

Resultado: a condução é muito suave, a disponibilidade de potência é imediata e, de uma forma geral, o ruído é manifestamente inferior ao de um convencional automóvel a gasolina. Contudo, quando o motor a gasolina “dispara” para abastecer as baterias, ouve-se por vezes um ruído tipo gerador que pode ser algo incomodativo.

Nissan X-Trail e-Power - AWAY
Nissan X-Trail e-Power (foto: AWAY/ DR)

Comando das velocidades

Na verdade, neste X-trail e-Power não há caixa de velocidades, já que o motor elétrico tem ligação direta às rodas. Tal não significa que a bordo não exista um comando que permita ao condutor selecionar o modo de condução. Ele está lá, de facto, e revelou-se mesmo muito prático de utilizar.

Apenas com ligeiros toques fiz as inversões de marcha num abrir e fechar de olhos, de forma tão fácil quanto foi colocá-lo em modo de ponto-morto ou de parqueamento.

Nissan X-Trail e-Power - AWAY
Nissan X-Trail e-Power (foto: AWAY/ DR)

A facilidade de passar de cinco a sete lugares

É sempre uma mais-valia poder transportar sete passageiros, mesmo que apenas de vez em quando. Neste particular, a solução adotada pelo X-Trail revelou-se extremamente prática, já que os dois lugares suplementares ficam escondidos sobre o piso da bagageira, não afetando a capacidade de carga.

Para os colocar em uso basta remover e guardar a chapeleira, puxar duas fitas e “voilá”! Num instante o SUV japonês está ponto para receber mais dois viajantes, embora estes tenham de ser de pequena estatura. Bem, têm de ser crianças pequenas, verdade seja dita. Caso contrário ficarão “esmagados” contra a segunda fila de bancos.

Nissan X-Trail e-Power - AWAY
Nissan X-Trail e-Power (foto: AWAY/ DR)

Bancos da segunda fila deslizantes

A questão da falta de espaço da terceira fila pode ser ligeiramente compensada com o facto dos bancos da segunda fila (dividem-se numa configuração de 60:40) serem deslizantes, outra característica que apreciei neste X-Trail.

Dependendo da estatura dos ocupantes da segunda fila, os bancos podem deslocar-se para a frente para oferecer mais espaço à terceira fila ou, caso esta não esteja a ser usada, podem deslocar-se para trás e assim proporcionar mais espaço e conforto.

Nissan X-Trail e-Power - AWAY
Nissan X-Trail e-Power (foto: AWAY/ DR)

Abertura das portas traseiras a quase 90 graus

Os condutores e passageiros sabem o desafio que pode representar colocar um objeto volumoso na segunda fila de bancos, instalar uma cadeira de criança ou simplesmente entrar e sair desta zona do habitáculo de um qualquer automóvel.

Pois neste caso, o Nissan X-Trail não é mesmo um “qualquer automóvel”. As suas portas traseiras abrem a quase 90 graus, o que facilita, em muito, todas as operações que descrevi acima. Perante algo que parece tão simples só me apetece dizer – mas porque é que não há mais automóveis assim?

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Ex-refinaria de petróleo transforma-se em parque sustentável
Radares da PSP. Vê aqui todas as localizações para o mês de junho
Autocarro a hidrogénio na Califórnia promete 644 km de autonomia