Mobilidade

Fundos comunitários têm de contemplar o uso da bicicleta, defende a MUBi

Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta alerta para excesso de poluição e defende o investimento na mobilidade suave
Texto
MUBi defende mais investimento na bicicleta como forma de mobilidade
MUBi defende mais investimento na bicicleta como forma de mobilidade

O aumento da concentração de gases poluentes causado pelo uso continuado de veículos equipados com motor de combustão, particularmente nos centros urbanos, tem gerado preocupação e levado à tomada de posições por parte de diferentes atores sociais. É o caso da MUBi, uma voz ativa pela adoção de novos hábitos de mobilidade suave e crítica quanto às opções do governo.

Não incluir aqueles que considera serem os modos de transporte mais saudáveis, económicos, energeticamente eficientes e ambientalmente sustentáveis no Programa para a Acção Climática e Sustentabilidade, integrado do Portugal 2030, seria, para a MUBi - Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta, um erro estratégico.

Em nota enviada à imprensa, a MUBi menciona alguns dados referentes à preponderância que têm os transportes rodoviários nos níveis de emissões registados no nosso país, os quais, só por si, defende a associação, justificam a aposta na utilização da bicicleta e no caminhar como opções de mobilidade sustentável.

Segundo a MUBi, os transportes são o setor com maior peso (28 por cento) nas emissões de gases poluentes registadas em Portugal e simultaneamente a principal causa de poluição do ar nas cidades. Perante este cenário, a associação defende que 50 por cento das viagens de automóvel cobrem distâncias inferiores a 5 km e que estas poderiam ser feitas em 15 a 20 minutos de bicicleta.

Perante a oportunidade de poderem ser incluídos alguns tópicos que defende nos investimentos a realizar no âmbito do Programa para a Ação Climática e Sustentabilidade, a MUBi deixa algumas recomendações ao governo, como a promoção da mobilidade ativa através de campanhas e a criação de um programa nacional de incentivo a movimentos casa-trabalho em bicicleta, entre outras medidas.

No que aos municípios diz respeito, a MUBi considera fundamental a alocação de apoios para que aqueles possam implementar, ou expandir, sistemas públicos de bicicletas partilhadas, assim como para elaborarem e implementarem planos de mobilidade urbana sustentável e planos municipais de segurança rodoviária.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Novo elétrico Citroën ë-C4 X chega a Portugal e já há preços
Maior central híbrida solar e hidroelétrica de África está a nascer no Gana
Vê como um frango pode alimentar milhares de pessoas