Mobilidade

Greve da CP na próxima sexta-feira pode causar perturbações significativas

Não estão previstos serviços mínimos para a greve dos comboios de sexta-feira dia 27
Greve na CP (Foto: Estela Silva/Lusa)
Greve na CP (Foto: Estela Silva/Lusa)

Depois da greve de 24 horas a 16 de maio e da greve parcial dos comboios na zona urbana do Porto que decorreu na passada segunda-feira, dia 23 de maio, é agora a vez de Lisboa enfrentar já esta sexta-feira, dia 27 de maio, uma nova paragem dos comboios no período da tarde.

Face a esta nova interrupção do serviço, a CP – Comboios de Portugal manifestou hoje preocupação com a possibilidade de ocorrerem “perturbações significativas” na circulação dos comboios urbanos durante o período de greve, isto porque, o Tribunal Arbitral do Conselho Económico e Social não decretou serviços mínimos para esta greve, lê-se em nota da empresa reproduzida pela agência Lusa.

O Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI), que reivindica melhores condições salariais para os trabalhadores, marcou o período de greve em Lisboa para o horário compreendido entre as 17h00 e as 21h00 de dia 27 de maio de 2022, mas, de acordo com nota da CP, o impacto da greve deve sentir-se logo a partir das 15 horas e até às 24 horas do mesmo dia.

Na passada segunda-feira a CP avançou com uma adesão à greve que provocou a supressão de 70% dos comboios, mas, este número foi contestado pelos sindicatos.

O SFRCI, que na CP representa a maioria dos trabalhadores do serviço comercial e transporte (revisores, trabalhadores das bilheteiras e as suas chefias diretas), considera que o aumento de 0,9% da tabela salarial não é “um valor aceitável” face a contínua perda de poder de compra, “algo que já acontece desde 2019”.

Continuar a ler
Home
Conferência dos Oceanos 2022 em Lisboa até 1 de julho
Subida de água no planeta. Vê aqui este projeto de sensibilização em Copenhaga
Estão a aparecer microplásticos em gelo na Antártida