Mobilidade

BMW elétricos vão ter bateria com 1000 km de autonomia

Velocidade de carregamento foi também melhorada nas baterias que vão equipar os modelos elétricos da marca a partir de 2025
Texto
Novas baterias BMW para modelos elétricos
Novas baterias BMW para modelos elétricos

A sexta geração de baterias de iões de lítio da BMW chega em 2025 e traz muitas novidades para além das células formato cilíndrico. A mais sonante será provavelmente a autonomia. O construtor alemão anuncia que as suas novas baterias vão permitir percorrer mais 30 por cento de distância, podendo mesmo chegar aos 1000 km totais.

O modelo elétrico da BMW que atualmente oferece maior autonomia é o SUV iX – 631 km. Considerando o incremento de 30 por cento trazido pela nova geração de baterias, este modelo poderá vir a percorrer até 820 km com uma única carga. Contudo, a autonomia máxima da próxima geração de elétricos do construtor bávaro não deverá ficar por aqui.

BMW iX tem atualmente uma autonomia anunciada de até 631 km

Thomas Albrecht, diretor do departamento ‘Efficient Dynamics’ da BMW, em declarações à Autocar foi claro sobre as capacidades das baterias de sexta geração: “dar-nos-ão uma autonomia 30% superior, ou mais, face às atuais, mas não ultrapassaremos os 1000 km de autonomia, apesar de o podermos fazer. Achamos que não será necessária uma autonomia tão grande”.

Para além de permitirem percorrer mais quilómetros, as baterias que irão ser montadas nos elétricos da BMW a partir de 2025 trazem um outro benefício à boleia da sua densidade energética sofrer um acréscimo de 20 por cento. A velocidade de carregamento foi melhorada em 30 por cento.

Quanto à componente ambiental, o construtor alemão assegura que o fabrico das baterias com células de formato redondo irá implicar uma redução de 60 por cento nas emissões de carbono face à realidade atual, o que será conseguido através do uso de lítio, cobalto e níquel reutilizados, assim como da utilização de energia verde na produção.

Ainda no domínio da produção, a BMW avança que o custo do fabrico das novas baterias será de até menos 50 por cento face às atuais. O futuro dirá se essa poupança se irá refletir no preço de venda dos novos automóveis elétricos do grupo, que afirma ter estabelecido o objetivo de reduzir os custos de fabrico de modelos totalmente eléctricos para o mesmo nível dos veículos com motores de combustão de última geração.

Para fazer face à produção da sexta geração de baterias, o grupo BMW adjudicou, entretanto, contratos num valor “acima de 10 mil milhões de euros” aos seus parceiros CATL e EVE Energy para a construção de novas fábricas. Ambos irão montar duas gigafábricas na China e na Europa, cada uma com uma capacidade total anual de até 20 GWh. A América do Norte será também o destino de duas novas fábricas, para as quais a BMW ainda não escolheu parceiros.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
TAP encomenda dezenas de BMW enquanto recebe dinheiro do estado
Benfica vs PSG condiciona trânsito em Lisboa. Vê aqui tudo
Comboio de alta velocidade a hidrogénio arranca em Espanha em 2023