Fantástico

Ford desafiou crianças a idealizar o carro do futuro

As crianças de hoje já querem conduzir. Carros voadores e elétricos, amigos do ambiente e confortáveis estão no topo das escolhas.

A Ford efetuou uma pesquisa com crianças entre os oito e os nove anos, com o objetivo de descobrir a sua visão e a sua apetência para o mundo automóvel em 2030, altura em que terão idade legal para obter a sua licença de condução, mas também a mesma altura em que o governo britânico prevê passar a comercializar apenas automóveis movidos a eletricidade. Por entre as respostas obtidas estão diversas curiosidades, que não fogem (muito) ao que muitos de nós também já idealiza para os próximos anos ou décadas.

De todas as crianças que fizeram parte deste estudo, e usando um Ford Mustang Mach-E como parte da experiência, cerca de 79 por cento estão desejosas de começar a conduzir e obter a sua licença de condução, sendo que 49 por cento dos inquiridos já optam por um automóvel movido a eletricidade, de preferência em tons de vermelho e negro.

Os combustíveis fósseis ainda não se encontram eliminados das preferências, uma vez que de todas as respostas, 17 por cento inclui automóveis a gasolina, 10 por cento ainda optam pelo diesel e há ainda sete por cento que indicaram o gás como a sua opção.

Conhece aqui a história do Sr. Baggott

A sua visão do automóvel perfeito do futuro inclui ainda uma lista de equipamentos que já fazem parte da oferta de muitas marcas, mas também outros que ainda não são tão comuns. E destes, a solução mais desejada é mesmo aquela que permite abandonar o asfalto e voar, evitando as tradicionais filas de trânsito. Além desta, também há quem queira uma máquina de gelados a bordo, um assento específico para gatos, rodas grandes, a capacidade de se transformar num barco e até de poder ser usado debaixo de água.

Além destas escolhas, as opções mais requisitadas incluem assentos confortáveis (36%) e um bom sistema de som (27%), mas já começam a ser referidas soluções que incluem um modo de condução autónoma e outras relacionadas com o ambiente. E também que a carroçaria tenha o formato de um unicórnio.

Caso a eletricidade passe a ser mesmo a única alternativa em 2030, os adultos referem que terão saudades do momento em que vão abastecer a uma estação de serviço, do som dos motores e das passagens de caixa de uma relação para outra. A grande preocupação para mais de 40 por cento das pessoas envolvidas neste estudo, no entanto, é se vão conseguir adaptar-se à condução de um carro elétrico no futuro. Ainda assim, e apesar de tudo isto, de todos os inquiridos, uma em cada cinco pessoas continua a achar que automóveis com motores de combustão não chegarão a ser totalmente banidos.

Continuar a ler
Home
Conferência dos Oceanos 2022 em Lisboa até 1 de julho
Subida de água no planeta. Vê aqui este projeto de sensibilização em Copenhaga
Estão a aparecer microplásticos em gelo na Antártida