António Costa alerta que hoje será o pior dia para incêndios e pede cuidado

Vento de leste e níveis humidade farão com que hoje seja o dia em que se reúnem mais condições para ocorrência de fogos

Hoje, dia 14 de julho, deverá ser o dia mais grave em termos de condições para incêndios. O alerta foi dado pelo primeiro-ministro que frisou que a gravidade da situação não deverá terminar na próxima semana.

Depois de ter estado num briefing com o presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), António Costa falou aos jornalistas - como se pode ver no vídeo da CNN Portugal - e alertou que é importante que hoje o cuidado seja redobrado para se evitar novas ocorrências de incêndios.

O primeiro-ministro salientou também que os meios de combate estão mobilizados e a operar de forma coordenada. Ainda assim, alertou que “a resposta não são mais meios, mas sim mais cuidado”, cita a CNN.

O primeiro-ministro referiu que hoje deverá ser o dia mais grave do ponto de vista das temperaturas e que haverá um crescimento do vento de leste e níveis de humidades baixos, o que poderá potenciar os fogos florestais. Assim, é essencial redobrar a caução para evitar novas ocorrências.

Apesar de as temperaturas irem baixar durante os próximos dias, António Costa optou por prolongar a Situação de Contingência até domingo, 17 de julho. A decisão foi tomada uma vez que há acumulação de incêndios dos últimos dias que acabam por se prolongar no tempo ainda que as ignições sejam menores.

Quarta-feira, dia 13 de julho, foram registadas 200 ocorrências de fogos rurais, sendo que sete dessas transitaram para hoje. Entretanto, o fogo que começou em Faro já está em fase de resolução, assim como o incêndio que fustigou Palmela.

Continuar a ler
Home
Alterações climáticas impactam nascimento das tartarugas
Preço dos combustíveis desce hoje: vê a nossa previsão
Descobre este veículo de transporte coletivo autónomo e a hidrogénio