Sustentabilidade

Primeira loja Ikea de produtos em segunda mão fica aberta até 2025

Começou por ser um teste, mas agora a loja Ikea que vende peças em segunda mão estará aberta até ao verão de 2025
Texto

Há algum tempo que é possível comprar alguns produtos em segunda mão nas lojas Ikea. Mas a empresa sueca de mobiliário tem um conceito ainda mais ambicioso. No final de 2020, abriu a sua primeira loja que vende apenas produtos em segunda mão, na Suécia. O resultado foi tão positivo que esta permanecerá aberta até agosto de 2025.

Localizada no centro comercial ReTuna Recycling, na cidade de Eskilstuna, a loja da Ikea de produtos em segunda mão começou por ser um teste, uma forma de ver como é que a empresa poderia apostar na circularidade dos seus produtos e perceber qual era a aceitação por parte dos clientes.

Loja circular Ikea - AWAY
Loja de produtos em segunda mão da Ikea (foto: Ingka Group)

Dois anos passados, o projeto já está a dar lucro. No ano fiscal de 2022, que vai de setembro de 2021 a agosto de 2022, a loja de produtos em segunda mão deu uma nova vida a cerca de 43 mil produtos, impedindo que estes acabassem no lixo.

Cerca de quatro em cada cinco peças vendidas vieram de doações privadas, ficando disponíveis para cerca de 16 mil clientes. Desta forma, foi possível evitar que 151 toneladas de produtos Ikea acabassem no lixo.

Em comunicado, a Ikea explica que o sucesso deve-se a vários fatores, entre eles um bom fluxo de produtos, colaboração com os parceiros certos e capacidade de dar resposta às necessidades dos clientes.

A Ikea quer tornar-se um negócio circular até 2030, estando por isso a testar e adotar soluções de economia circular. Assim, vão aplicar o que estão a aprender com a loja de produtos em segunda mão nos 21 estabelecimentos Ikea na Suécia.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
63% da eletricidade consumida de janeiro a maio veio de fontes renováveis
Camiões sem condutor vão entregar-te encomendas 24 por dia
Governo não desce impostos: ISP mantêm e taxa de carbono sobe