Mobilidade

Hidrogénio como alternativa: Hyundai atinge 1000 unidades vendidas do NEXO na Europa

Construtor coreano vai apostar no desenvolvimento da tecnologia fuel cell, numa altura em que comemora a venda de 1000 unidades do Nexo na Europa
Hyundai Nexo atinge mil unidades vendidas
Hyundai Nexo atinge mil unidades vendidas
PUB


Mil exemplares. É este o número que assinala as unidades vendidas na Europa do Hyundai Nexo, o modelo SUV movido a hidrogénio de segunda geração da marca coreana (sucedeu ao ix35 Fuel Cell), cuja produção teve início em 2018.

Produzido em Ulsan, na Coreia do Sul, a uma média de 6000 unidades por ano (em 2019 e 2020) o Hyundai Nexo é atual proposta da marca no que concerne a veículos fuel cell, com os seus 666 km de autonomia e um tempo de reabastecimento inferior a cinco minutos. Contudo, a aposta no hidrogénio por parte da Hyundai já vem de longe.

PUB

Há mais de duas décadas que o construtor asiático vem desenvolvendo a tecnologia fuel cell. A primeira fase visível do projeto aconteceu com o lançamento do protótipo Santa Fe FCEV, corria o ano de 2000. Treze anos mais tarde, lançou o ix35 Fuel Cell, considerado o primeiro automóvel movido a hidrogénio de produção em série, tendo sido substituído em 2018 pelo Nexo.

PUB

Desde então, a Hyundai tem apostado no desenvolvimento da propulsão a hidrogénio aplicada a veículos pesados, como são exemplo o camião XCIENT Fuel Cell, lançado no ano passado, e o autocarro Elec City Fuel Cell, que atualmente está em fase de testes pela Europa.

PUB

Para o construtor coreano, o futuro da mobilidade não passará apenas pelos veículos elétricos alimentados a baterias – a aposta no hidrogénio é para continuar. Por isso, está a desenvolver o seu sistema fuel cell de terceira geração, o qual irá substituir o que atualmente equipa o modelo Nexo. Até 2030, é objetivo da Hyundai disponibilizar veículos fuel cell a preços equiparados aos veículos elétricos.

Continuar a ler
Home
LG cria conceito futurístico de veículo-casa autónomo e elétrico
Gasolina e gasóleo vão subir a partir de segunda-feira
Localização dos radares da PSP até dia 31 de janeiro