Mobilidade

EasyJet junta-se à Rolls-Royce para testar hidrogénio em voos comerciais

Rolls-Royce e easyJet juntam-se para testar tecnologia para motores a hidrogénio que possa ser usada em várias aeronaves
easyJet (Foto: Reiseruhu/Unsplash)
easyJet (Foto: Reiseruhu/Unsplash)

A easyJet e a Rolls-Royce juntaram-se com o objetivo de impulsionar o uso de hidrogénio na aviação. Através de uma parceria batizada de H2ZERO, as duas empresas da indústria da aviação vão desenvolver uma tecnologia para motores a combustão a hidrogénio que possa ser usado numa panóplia de aeronaves, incluindo as mais estreitas, como as usadas pela companhia aérea low-cost.

O programa irá beneficiar das capacidades de desenvolvimento de motores e sistemas de combustão da Rolls-Royce e do conhecimento operacional da easyJet. Em comunicado, é referido também que a companhia aérea irá investir vários milhões de euros no programa de testes, sem ser divulgado qual o valor.

As duas empresas pretendem começar a trabalhar juntas numa série de testes de motores, no solo, já este ano. Mais tarde, esperam elevar a tecnologia para o ar, mostrando como será possível utilizar o hidrogénio como combustível a partir de meados de 2030.

Motor de avião Rolls-Royce (Foto: Kin Cheung/AP)

No final de 2022, a H2ZERO vai começar a testar a tecnologia a hidrogénio no motor Rolls-Royce AE 2100, e, mais tarde, vai avançar para testes no motor Rolls-Royce Pearl 15.

Ambas as empresas fazem parte da campanha Race to Zero, da ONU, uma aliança comprometida com o objetivo de se atingir a neutralidade carbónica até 2050. A parceria H2ZERO quer contribuir para a descarbonização da aviação e é uma resposta a vários estudos que mostram que o hidrogénio poderá ser uma solução com menor pegada ambiental para a indústria.

Hidrogénio tem sido estudado para a aviação

Esta não é a primeira parceria na aviação focada no hidrogénio. Em 2021, a Airbus e a Air New Zealand juntaram-se para estudar o potencial das aeronaves a hidrogénio como parte da estratégia da companhia aérea de ter uma frota menos poluente até 2030.

O governo inglês também acredita que uma das possibilidades para se ter aviões zero-emissões será o hidrogénio e criou um conceito de avião com movido a este combustível no âmbito da iniciativa FlyZero.

Continuar a ler
Home
E-bike analisa o nível de poluição no ar enquanto pedalas
Porsche bate Tesla e estabelece novo recorde elétrico em Nürburgring
E se fosses de balão ao espaço? Descobre aqui o preço de uma viagem de 6 horas