Energia

Cientistas suíços extraem hidrogénio da casca da banana em milissegundos

À medida que a crise energética se vai acentuando é cada vez mais evidente a necessidade de procurar novos recursos
Bananas podem ser solução para energia renovável
Bananas podem ser solução para energia renovável

Cientistas de todo o mundo tem procurado encontrar formas de produzir biocombustíveis e extrair hidrogénio a partir de resíduos orgânicos, restos de plantas e animais. Terá sido encontrada uma nova forma de produzir energia renovável?

Cientistas da Escola Politécnica Federal de Lausanne, na Suíça (EPFL) publicaram um estudo no “Chemical Science” onde revelam o resultado de uma investigação que demonstra um novo método de obter hidrogénio a partir da casca da banana, através do método de pirólise (vê abaixo no que consiste este processo).

A ideia passa por gerar biomassa e produzir hidrogénio, durante o processo. A biomassa, para além de poder absorver e armazenar dióxido de carbono, pode ser utilizada para agricultura em fertilizantes. Já o hidrogénio pode ser utilizado para produzir energia limpa renovável.

De uma forma simplificada o método consiste em utilizar uma poderosa lâmpada de Xenon com luz flash branca e basicamente atingir a casca da banana com raios de luz. Mas calma que não o irás conseguir fazer em casa!

A casca da banana foi seca a mais de 100 graus centígrados durante cerca de 24 horas e depois foi completamente esmagada até ficar em pó. Este pó foi depois colocado num reator especial e atingido com o piscar de uma lâmpada de xénon. A conversão durou apenas 14,5 milissegundos.

Como converter biomassa em combustível

Basicamente existem duas foram de converter biomassa em energia: gasificação e pirólise. A gasificação é um processo que parte do aquecimento acima de mil graus centígrados da matéria para captar o gás e componentes sólidos. É esse gás que contém uma mistura de hidrogénio, metano, monóxido de carbono e outros hidrocarbonetos que possibilita a produção do “biofuel”.

A pirólise é similar ao processo anterior, mas processa-se a temperaturas inferiores (entre 300 a 800 graus centígrados) e é realizada a pressões acima de 5 bars em atmosfera inerte. Também é possível retirar gás nesta situação, mas infelizmente é um processo que necessita de reatores especiais para gerir todo o processo.

Continuar a ler
Home
Radares: onde vão estar instalados os controlos de velocidade da PSP em julho
Lisboa é considerada a cidade mais feliz do mundo
Painéis solares grátis? Descobre como teres acesso