Bruno Magalhães soma e segue no Rali dos Açores

Piloto subiu duas posições na classificação geral
Texto
Bruno Magalhães
Bruno Magalhães

Realizada a primeira metade do Rali dos Açores, elevam-se as expetativas para os portugueses em prova. Todos estão a rolar a um ritmo competitivo, sofrendo apenas alguns percalços pelo caminho.

Na prova liderada pelo russo Alexey Lukyanuk (Ford Fiesta R5), Ricardo Moura (Skoda Fabia R5) sofreu dois furos que lhe custaram algum tempo. Contudo, o açoriano permanece no segundo lugar da geral a 21,8s do líder.

"É difícil. Agora temos que gerir também os pneus, porque tivemos furos. Um furo lento de manhã e problemas na tração à tarde", explicou.

O "filho da terra" pode ser o franco favorito a vencer o rali, mas o apoio a Bruno Magalhães (Skoda Fabia R5) não fica muito atrás. O piloto subiu duas posições na classificação, ficando agora em terceiro da geral com uma diferença de 11,7 para Moura e 32,4 para o piloto russo.

"Estamos a progredir. De manhã estava um pouco frustrado porque não conseguia ter tração e tinha uma partida má – arrancou de 5.º - e à tarde provei que em condições mais ou menos iguais para todos, conseguimos ser rápidos. Fizemos uma tarde muito boa e recuperamos tempo para toda a gente e isso deixa-nos animados", explicou ao Autoportal.

A primeira passagem pelo magnifico troço das Sete Cidades não correu de feição e ficou marcada por nevoeiro intenso.

"Dificultou, claro. Mas ainda assim o nevoeiro não foi tão fechado quanto nos outros anos. Foi difícil, mas a especial este ano não tinha lama, ou outro tipo de problemas que marcaram a anterior edição. Sábado há muitos km a fazer. Em termos de quilometragem devemos estar a meio do rali e ainda há muito por acontecer", assumiu o piloto que recuperou o tempo perdido na segunda passagem. Bruno arrancou o primeiro lugar nas Sete Cidades com o tempo de 00:16:35.8.

Para o derradeiro dia do rali, Bruno leva motivação para a estrada. No passado está o forte acidente sofrido na última prova do calendário ERC 2017. Um despiste que resultou num violento embate numa árvore tirou o piloto da corrida pelo título de campeão europeu.

"Estamos bem. O último rali foi difícil por causa do acidente, mas depois de fazer as Sete Cidades como fiz, a confiança voltou" (risos).

No sábado realizam-se as últimas seis classificativas do Rali dos Açores.

 

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Dicas para enfrentar o frio sem gastar muito dinheiro
Um dos relógios mais sustentáveis é feito com materiais reciclados
E se pudesses comer a colher? Esta é em bolacha impressa em 3D