Energia

FC Porto-Sporting: Quanta energia elétrica se consome num dérbi?

Estádio do Dragão, 20:15, lotação provavelmente esgotada, luzes e ar condicionado ao rubro…
FC Porto vs. Sporting (Foto: MF/V.A.Alvarenga)
FC Porto vs. Sporting (Foto: MF/V.A.Alvarenga)

Um jogo importante como o FC Porto vs. Sporting que se realiza hoje, no Estádio do Dragão, às 20h15, é um verdadeiro devorador de energia elétrica. Não é por ser “este” jogo em particular, ou por qualquer característica única do magnífico estádio de autoria do Arq.º Manuel Salgado, mas sim, porque é um jogo “grande”.

Um relatório revelado pela Selectra (especialista em comparações de dados de consumo de eletricidade e gás), há cerca de três anos, revelava alguns dados compilados para o último Campeonato Mundial de Futebol, realizado na Rússia, que servem como base de comparação.

Vídeo: Há um estádio feito com contentores em AbuDhabi

Um estádio de grandes dimensões (refere-se uma capacidade de cerca de 50 mil espetadores) pode consumir 25.000 KWh durante os 90 minutos! Para teres uma base de comparação, isto significa, mais ou menos, todo o consumo anual de cerca de uma dúzia de habitações familiares.

Há um ano, o dérbi na invicta decorreu sem adeptos (Foto: LUSA)

Jogos no Verão ou no Inverno, as diferenças são grandes

É claro que o consumo de energia depende de vários fatores. Um jogo às 16h em Portugal no verão não necessita de ligar sequer a iluminação do estádio. Um jogo às 21h00 no inverno, obriga a isso e a maior consumo de gás, para banhos, por exemplo.

Sistemas de aquecimento ou de arrefecimento são apenas uma parte do problema, porque, onde surge a parte de leão é mesmo no consumo de energia da iluminação.

Estádio da Luz é o primeiro com carregador ultrarrápido

Mas não só. O estudo revelou que só o facto de se ter passado dos placards tradicionais de anúncios, para os mega painéis de LED, e outras tecnologias, correspondem a cerca de 40% do atual consumo de um estádio.

Outro dado interessante. Um jogo que tenha elevado serviço de catering, como é o caso de jogos tipo o dérbi Porto vs. Sporting, um jogo europeu ou de seleções, é responsável por um incremento de 20% de energia, para manter comida quente, bebidas frias, etc.

Ok, então vou ver o jogo na televisão!

Bem, na verdade a Selectra diz que o jogo em si, e não apenas o estádio, é igualmente responsável por um elevado consumo energético. Senão vejamos.

A transmissão do jogo requer satélites, inúmeras camaras HD e outras, drones, estruturas que se deslocam para o estádio para assegurar comunicações, entre muitos outros sorvedouros de energia. Diz o estudo que pode corresponder a mais 11% da energia utilizada “no jogo”.

E, mesmo em casa, a não ser que convides seis ou sete amigos para poupar recursos energéticos, a tua nova TV OLED 4K ou qualquer coisa assim deverá encarregar-se de te animar a fatura (estima-se que a duração de um jogo possa corresponder a 6 kWh de consumo, numa televisão de grandes dimensões).

No final ainda pode haver um tira-teimas caseiro...

Por outro lado, se tiveres esses amigos todos, a porta do frigorifico, em busca de algo “geladinho” não irá dar descanso ao contador elétrico. E muito provavelmente no final ainda ficas a ouvir experts ou então a fazer um "tira teimas" na consola...

O que te leva à solução final… ruma ao café… a televisão já está ligada mesmo, pelo que, não deverá existir grandes diferenças energéticas entre um dérbi, que pode decidir o campeonato, ou, um jogo de juvenis de uma distrital qualquer.

 

(Fotos: Vitor Hugo Alvarenga/MaisFutebol, Lusa, Jeshoots/Unsplash)

Continuar a ler
Home
Radares: onde vão estar instalados os controlos de velocidade da PSP em julho
Lisboa é considerada a cidade mais feliz do mundo
Painéis solares grátis? Descobre como teres acesso