Atualidade

Férias e desportos náuticos? Vê como transportar equipamento em segurança

Se és adepto de SUP, de surf ou de motos de água, vai de férias com as nossas dicas sobre transporte de equipamentos náuticos
Texto

Verão, calor, água e desportos náuticos. Haverá melhor combinação para os mais irrequietos que dispensam estar todo o dia deitados na areia? Provavelmente não. E com a oferta de modalidades que hoje existe, só não passa umas boas horas de diversão no mar (ou na lagoa, ou no rio) quem não quer. Mas tem em conta: para além da compra de um novo “brinquedo”, é também preciso saber transportá-lo.

O stand up paddle (SUP) está hoje mais em voga do que nunca, mas também o caiaque, o surf, o kite surf ou o wind surf. Toda essa popularidade deve-se, em grande parte, ao facto dos equipamentos para praticar estas modalidades, outrora muito caros, estarem hoje bem mais acessíveis. Alguns até os podemos comprar em super ou hipermercados.

Os preços bombásticos e a facilidade de aquisição têm levado muita gente a aventurar-se em novas modalidades. Mas e quanto ao transporte no automóvel, sabes como fazê-lo corretamente? Deixamos-te aqui algumas dicas, a começar pelas pranchas.

Como transportar uma prancha ou um caiaque

Para transportares uma prancha em segurança o mais aconselhável e colocá-la sobre barras de tejadilho transversais, as quais deverão ter algum elemento acolchoado, para que a prancha não sofra nenhum dano. Coloca-a com a face voltada para baixo e o nose (frente) no sentido da dianteira do automóvel. Desta forma as quilhas ficam viradas para cima e mais perto da bagageira.

Com a prancha já em posição, só tens de a amarrar com uma correias resistentes. Aperta-a contra as barras transversais de forma que não oscile com o andamento do carro, mas não em demasia para não estragares o material. Caso não tenhas barras fixas, podes sempre optar pelos soft racks. Estes diferenciam-se dos primeiros por terem de ser montados a cada utilização e pelo facto das correias terem de passar pelo interior do habitáculo.

O mesmo modo de fixares uma prancha aplica-se caso transportes várias unidades ou outro equipamento náutico, como um caiaque, mas não te esqueças de consultar o manual do teu automóvel para ficares a saber qual o peso máximo admitido sobre o tejadilho.

Lembra-te também que, de acordo com o código da estrada, os equipamentos a transportar não podem reduzir a visibilidade do condutor nem tapar (total ou parcialmente) as luzes e chapas de matrícula; não podem exceder a largura do carro nem ultrapassar os 55 centímetros para a frente e 45 centímetros para trás, além dos seus pontos extremos; e não podem exceder uma altura de quatro metros a contar do solo.

Outro desporto náutico com muitos adeptos, embora já não tão acessível, é andar de moto de água. No mar, no rio ou na lagoa, conduzir um destes veículos sobre a água é emoção garantida e até já existem propostas com motorização elétrica. Mas tal como os equipamentos que referimos atrás, também a moto de água, assim como um barco, obriga a cuidados especiais no transporte. Neste caso, mais ainda, já que é necessário um reboque.

Como transportar uma moto de água ou um barco

Antes de mais terás de adquirir um atrelado adequado e ter um sistema de reboque instalado no teu automóvel. Estás autorizado a conduzir com atrelado com a carta de condução de categoria B (ligeiros), desde que a carga não exceda 750 kg ou o peso total do automóvel com o atrelado não seja superior a 3500 kg. Se estes limites forem ultrapassados, então terás de estar habilitado para a categoria BE.

Quanto ao atrelado, se o seu peso bruto não exceder os 300 kg não necessita de matrícula própria, mas a apólice de seguro do automóvel deverá passar a incluí-lo. Acima daquele peso, será necessário requerer a homologação através do Modelo 9 do IMT e o atrelado deverá ter o seu próprio Documento Único Automóvel e um seguro específico.

Outras regras estipuladas pelo código da estrada dizem respeito às dimensões do equipamento transportado: não pode exceder um metro à retaguarda, nem exceder um comprimento total de 25 metros; a largura total não pode exceder a do automóvel ou a do reboque em mais de 30 cm para cada lado, sem ultrapassar os três metros e meio; a altura não pode ultrapassar os 4,60 metros.

Tem em atenção que o atrelado onde vais transportar a tua moto de água ou barco não pode prejudicar a identificação da sinalização, iluminação e chapas de matrícula. Deves ter um campo de visão desimpedido para a retaguarda e, caso seja necessário, poderás ter de instalar espelhos retrovisores adicionais.

Quanto à forma de fixares o teu equipamento ao atrelado, o melhor será consultares as recomendações do fabricante. Em todo o caso, assegura-te que a carga está distribuída de forma uniforme e que todo o equipamento está bem preso para que não se solte em andamento.

(Fotos: Pexels e Flickr)

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Radares PSP. Todas as localizações para o mês de outubro
Preço dos combustíveis vai subir para a próxima semana. A nossa previsão aqui
Eletricidade e gás ficam mais caros dia 1 de outubro