Fantástico

Fomos conhecer o novo buggy elétrico T3EV criado para competição

Este veículo elétrico atinge os 140 km/h e pode começar a competir já no próximo ano
T3EV
T3EV
PUB

Foi no 5.º Salão do Automóvel Híbrido e Elétrico (SAHE), na Alfândega do Porto, que ficámos a conhecer o novo buggy T3EV criado pela ADESS AG e patrocinado pela Galp. Este imponente carro deixou pouca gente indiferente, o que não é de estranhar. Afinal, é um veículo totalmente elétrico e português criado para competição todo-o-terreno.

O projeto do T3EV não tem muitos anos. Na verdade, começou a ser desenvolvido há cerca de um ano e meio pela ADESS AG, uma empresa especializada em desenhar, construir e desenvolver carros de corrida, motas e veículos de alta performance. A eletrificação do buggy “é o primeiro projeto para começar a ter esta experiência. Toda a gente aceitou que é o futuro e isto é uma boa maneira de começar a criar um know-how ”, conta André Gonçalves, um dos engenheiros envolvidos no desenvolvimento do T3EV.

PUB

Na altura, a decisão de eletrificar este tipo de veículo veio da análise do panorama português. “O todo-o-terreno está espalhado por Portugal e há uma cultura bastante grande associada a ele. Depois, teve-se em conta as características de um carro elétrico e das categorias de desporto automóvel. Percebemos que o T3 seria o veículo ideal e foi a partir daí que o projeto nasceu”, começa por explicar André Gonçalves.

PUB
PUB

O objetivo era criar um veículo elétrico que pudesse competir com os de combustão. “Toda a escolha de produtos foi feita para que o T3EV fosse competitivo com a combustão e, naturalmente, o peso e a potência são duas características bastante importantes na performance de um veículo”, referiu André Gonçalves.

Sendo um carro elétrico, com baterias, é naturalmente mais pesado.Tentámos compensar esse facto com um aumento de potência, que é ligeiramente acima da potência do buggy com motor a combustão”, conclui.

No entanto, esse não foi o único cuidado que tiveram no desenvolvimento do buggy elétrico. O chassis também foi alvo de ajustes para que se conseguisse garantir que as baterias estavam seguras e não houvesse o perigo de caírem a meio da competição. No final, “a distribuição do peso, a suspensão, tudo isso teve de ser repensado.”

O T3EV tem dois motores elétricos localizados nos eixos, cada um com 200 kW. Vai dos zero aos 100 km/h em menos de 4,5 segundos e atinge a velocidade máxima de 140 km/h, que é o limite da categoria em que corre. Tem uma bateria com 54 kWh que lhe dá autonomia para cerca de 70 km, mas “não consegue fazer a corrida completa”.

PUB

No início de outubro, houve uma demonstração do T3EV na Baja TT Capital dos Vinhos, de Reguengo de Monsaraz. Mas o veículo ainda não está pronto para competir, como explicou o engenheiro: “Temos de discutir a parte do carregamento rápido, que seria necessário, tendo em conta a autonomia do carro e as várias etapas da prova. O buggy, como está, não seria capaz de finalizar (…) estamos agora na fase final de desenvolvimento e esperamos que no próximo ano já seja possível competir.

Continuar a ler
Home
Dias negros para quem precisa de abastecer. Combustíveis vão subir
Inspeção às motas à espera do novo governo
Devo comprar um carro elétrico? Prós e contras!