Fantástico

A Renault 4L foi o modelo que apresentou ao mundo a quinta porta

A busca por um maior volume de carga fez nascer uma solução que hoje é perfeitamente comum: a quinta porta, destinada a aceder à mala
PUB

Nas reuniões iniciais com as equipas de design que iriam projetar o Renault 4L, Pierre Dreyfus, o CEO da marca entre 1955 e 1975, referiu que desejava ver um maior volume de carga num automóvel que estivesse destinado a todas as pessoas. O resultado foi um protótipo invulgar, que incluía na secção traseira aquilo que viria a ser conhecido por Trappe, ou escotilha, ou seja, a quinta porta. Surgiu assim uma nova ideia que iria ser adotada pela maioria dos construtores e que hoje já consideramos tão comum.

A ideia de ter uma porta traseira destinada a aceder à bagageira inspirou bastante as equipas de design que tinham assim uma maior liberdade para projetar o habitáculo de um automóvel, sem a obrigatoriedade de formato que tinham até agora, com as carroçarias de três volumes bem definidos.

PUB
Pierre Dreyfus, CEO Renault de 1955 a 1975
PUB

Na versão de produção do Renault 4L, revelada oficialmente em 1961, era agora possível aceder muito mais facilmente à bagageira e, com a ajuda do fundo plano e de um plano de carga muito mais baixo, era possível carregar coisas como um fardo de palha, malas de viagem e diversos outros volumes, que dificilmente seriam transportados num modelo com estas dimensões ou numa convencional carroçaria de três volumes.

PUB
Conhece alguns dos modelos da Renault 4L que foram lançados

Ao mesmo tempo, o Renault 4L podia cumprir as mesmas funções de um carro utilitário, de um familiar e até de um carro de trabalho.

Renault Arkana

Esta solução inovadora acabou por passar rapidamente para modelos de outros segmentos, que até agora, também estavam limitados ao tradicional formato de três volumes. Um dos primeiros foi o Renault 16, apresentado em 1965, mas houve diversos outros modelos da francesa que rapidamente adotaram a solução da quinta porta, tais como o Renault 11, o 20, o 25, o 30 e até o Fuego, de visual mais desportivo.

Nos dias que correm, esta solução é mais do que comum em praticamente todos os modelos que conhecemos, mas se nos restringirmos à Renault, podemos relembrar modelos como o Arkana, o SUV de formato mais aproximado ao de um Coupé, mas que também inclui uma quinta porta de fácil acesso à sua enorme bagageira.

Continuar a ler
Home
Dias negros para quem precisa de abastecer. Combustíveis vão subir
Inspeção às motas à espera do novo governo
Devo comprar um carro elétrico? Prós e contras!