Fantástico

Missão na lua vai integrar tecnologia de comunicações da Amazon e da Cisco

Nave Orion terá tecnologia Callisto, composta pela Amazon Alexa e pelo Webex da Cisco, para ajudar futuros astronautas a serem autossuficientes
Amazon Alexa e pelo Webex da Cisco em tecnologia que vai à Lua
Amazon Alexa e pelo Webex da Cisco em tecnologia que vai à Lua

Três empresas americanas juntaram-se com o objetivo de integrar tecnologias exclusivas de interface homem-máquina na nave espacial Orion, da NASA. A colaboração estabelecida entre a Lockheed Martin, a Amazon e a Cisco pretende descobrir de que forma os futuros astronautas podem beneficiar das tecnologias de voz, Inteligência Artificial (IA) e videoconferência de longa distância.

Denominada Callisto (nome da ninfa favorita da deusa grega Artemis), a solução tecnológica conjunta, que integra a Amazon Alexa e o Webex da Cisco, pretende testar e demonstrar a tecnologia comercial de voz, vídeo e “whiteboard” no espaço.

Nave espacial Orion, da Nasa

Já a Lockheed Martin, enquanto empresa responsável pela conceção e construção da Orion, tem a seu cargo o processo de desenvolvimento e a integração dos componentes na nave espacial, durante a missão não tripulada em torno da lua Artemis I.

A Callisto caracteriza-se por ser uma integração personalizada de hardware e software, desenvolvida por engenheiros das três empresas envolvidas no projeto. Inclui tecnologia inovadora que, por exemplo, permite à Alexa funcionar sem ligação à internet e executar o Webex num tablet, utilizando a Deep Space Network da NASA, a rede composta por antenas de rádio gigantes que suporta missões de naves espaciais interplanetárias e de algumas que orbitam a Terra.

Sendo a Artemis I uma missão não tripulada, os parceiros do projeto trabalharam em conjunto com a NASA para construir uma experiência de tripulação virtual no Johnson Space Center, em Houston, Estados Unidos, permitindo que os operadores interajam com a Callisto a partir do Mission Control Center.

Desta forma será possível testar e demonstrar como as tecnologias de colaboração de voz e vídeo podem ajudar os astronautas a melhorar a eficiência e a perceção situacional durante a sua missão, já que dão acesso ao estado do voo e à telemetria e permitem o controlo dos dispositivos conectados a bordo.

Vídeo de demonstração do sistema em inglês

No decorrer da missão Artemis I, o vídeo e o áudio das interações serão transmitidos de volta à terra diversas vezes, o que permitirá aos engenheiros analisar o desempenho dos sistemas de bordo e partilhar as interações com o público. Para quem está em terra, sejam estudantes, entusiastas do espaço ou qualquer pessoa, será possível seguir a missão em dispositivos com a funcionalidade Alexa, bastando dizer “Alexa, take me to the moon”.

O lançamento da Artemis I está programado para o próximo mês de março, a partir do Kennedy Space Center em Cabo Canaveral, Flórida, para uma viagem de várias semanas em torno da Lua e de regresso à Terra.

(Fotos: divulgação e NASA/Liam Yanulis)

Continuar a ler
Home
Conferência dos Oceanos 2022 em Lisboa até 1 de julho
Subida de água no planeta. Vê aqui este projeto de sensibilização em Copenhaga
Estão a aparecer microplásticos em gelo na Antártida