Energia

Berlim está a preparar termos gigantes para manter água quente no inverno

Estrutura cilíndrica na Alemanha irá armazenar água e mantê-la quente, apenas com excedentes de produção de energia eólica e solar

Não te deixes enganar pelo tom acobreado que sugere um silo de cereais ou um depósito de fermentação de cerveja. A estrutura que observas na foto de abertura é uma espécie de termo gigante para acumular água quente e aliviar a necessidade de gás natural russo, na Alemanha.

Com 45 metros de altura e capacidade para albergar cerca de 56 milhões de litros de água quente, esta enorme torre cilíndrica é a resposta da companhia alemã Vattenfall para assegurar água quente às casas da região de Berlim quando secar o fornecimento de gás natural da companhia Gasprom (detida pelo Kremlin).

Durante mais de um século a fria região de Berlim recorreu no inverno a aquecimento com carvão, gás ou até mesmo resíduos, mas a verdade é que nenhuma infraestrutura tem capacidade para armazenar grandes doses de calor de forma constante.

A nova estrutura revelada pela Vattenfal, com uma capacidade de 200 MW, irá ter esse potencial: armazenar uma enorme quantidade de água quente, recorrendo para isso apenas aos “excedentes” de produção de centrais elétricas solares ou eólicas alemãs.

Este gigantesco termo faz parte de um investimento de mais de 50 milhões de euros que tem como objetivo fornecer à região de Berlim toda a água quente que necessita durante o verão e cobrir cerca de 10% das necessidades humanas no inverno.

A guerra na Ucrânia, o embargo europeu ao petróleo e gás russo aceleraram a decisão de construção desta unidade e, de acordo com notícias da Asssociated Press, está já em avançado estado de estudo uma estrutura idêntica nos Países Baixos que será ainda maior.

Continuar a ler
Home
2022 é o ano com a segunda maior área ardida na Europa
Descobre este veículo de transporte coletivo autónomo e a hidrogénio
Colete salva-vidas de economia circular evita afogamentos