Energia

Alterações climáticas: Não há tempo a perder, diz António Costa

Energias renováveis são fundamentais para acelerar o combate às alterações climáticas

O primeiro-ministro afirmou hoje que Portugal não tem “tempo a perder” no que respeita ao combate contra as alterações climáticas. Discursando no âmbito da inauguração da gigabateria do Tâmega, António Costa quis salientar a importância deste investimento nas energias renováveis.

O complexo hidroelétrico concessionado à Iberdrola é um dos maiores projetos hídricos construídos na Europa nos últimos 25 anos e irá permitir a Portugal reduzir “o equivalente a 1,2 milhões de toneladas de dióxido de carbono (…) e importar menos 160 mil toneladas de petróleo para produzir a mesma quantidade de energia” – referiu o primeiro-ministro.

António Costa referiu ainda que Portugal “está em particulares condições, infelizmente, de perceber a urgência e a emergência climática e de todas as formas como se traduzem as alterações climáticas”, isto referindo-se aos incêndios que tem assolado o país nos últimos dias.

A aposta nas energias renováveis é decisiva no combate às alterações climáticas, lembrando ainda o primeiro-ministro que Portugal não tem gás natural, petróleo ou combustíveis fósseis.

“Mas pelo contrário temos recursos hídricos, solar, eólico e podemos ser nós próprios a produzir a energia que nós consumimos (..) deixando de ser importadores e passarmos a ser exportadores de energia”, salientou.

O investimento da Iberdrola permitirá também a Portugal ter uma produção de energia renovável “equivalente à central de carvão de Sines que foi encerrada o ano passado”.

Continuar a ler
Home
2022 é o ano com a segunda maior área ardida na Europa
Descobre este veículo de transporte coletivo autónomo e a hidrogénio
Colete salva-vidas de economia circular evita afogamentos