Energia

VW investe na expansão de parques eólicos e centrais solares na Europa

Grupo VW vai investir €40 milhões na produção de energias verdes até 2025, como parte do objetivo de atingir neutralidade carbónica até 2050
Volkswagen aposta em energias renováveis
Volkswagen aposta em energias renováveis
PUB

A Volswagen planeia impulsionar a expansão de parques eólicos e centrais solares na Europa, com investimentos no valor total de cerca de 40 milhões de euros, até 2025. Nesse sentido, o grupo alemão acaba de fechar um acordo com a empresa wpd Onshore Aldermyrberget AB para a expansão de um parque eólico em Skellefteå, norte da Suécia, naquele que é o maior projeto do seu portefólio até à data.

A parte da Volkswagen no parque eólico produz cerca de 100 GWh de eletricidade, ou seja, o suficiente para alimentar 27.000 lares.

PUB

A estratégia de investimento insere-se no objetivo do construtor em ser totalmente neutro em carbono até 2050, o qual engloba a produção da gama de veículos elétricos ID. e a sua utilização durante todo o seu ciclo de vida.

PUB

O facto de o grupo alemão escolher a Suécia para realizar este investimento não é inocente, uma vez que os veículos elétricos têm conhecido uma enorme popularidade neste país escandinavo e a VW lidera o mercado, com 20 por cento de quota. Contudo, esta vai realizar outros investimentos em outros territórios europeus.

PUB

No início do próximo ano estará a funcionar uma nova central solar em Tramm-Göthen, no nordeste da Alemanha, num projeto conjunto com a empresa de energia RWE que contempla cerca de 420 mil módulos solares.

Estão ainda previstos cerca de 20 outros projetos de eletricidade verde em países como a Espanha, o Reino Unido e a Finlândia até 2025, os quais deverão gerar um total combinado de cerca de sete terawatts-hora de eletricidade, valor que poderia cobrir o consumo anual de 600 mil lares.

(Fotos: Pixabay e Unsplash)

Continuar a ler
Home
Comprar um veículo elétrico em segunda mão. Prós e contras
Preço dos combustíveis com aumento na 2ª feira
Descobre como a resiliência fará parte das smartcity do futuro