Energia

Painéis solares em bairro de lata dão eletricidade a meninas para estudar

Projeto em Cabo Verde instalou painéis fotovoltaicos de energia solar e baterias em casas onde vivam meninas estudantes
Texto
Painel solar em casa isolada (foto: VDP/Unsplash)
Painel solar em casa isolada (foto: VDP/Unsplash)

Em países onde o sol brilha com frequência, a energia solar pode ser uma solução para levar eletricidade para a casa de famílias carenciadas. Basta haver o empurrão certo. Em Cabo Verde, um projeto de cariz social está a instalar painéis solares em 50 casas de um bairro de lata.

O objetivo é simples: levar luz para dentro das habitações, permitindo assim que seja possível estudar mesmo quando o dia escurece.

Cabo verde energia solar - AWAY
Cabo Verde (Foto: Rob Oo/Flickr)

Criado pela Organização das Mulheres de Cabo Verde (OMCV), o projeto chama-se “Luz para as meninas” e está a ser desenvolvido num bairro nos arredores da cidade do Mindelo, na Ilha de São Vicente.

Aqui, a eletricidade não chegou, nem tão pouco saneamento ou estradas. Os painéis fotovoltaicos que são agora instalados serão um primeiro passo para uma vida melhor.

O projeto da OMCV prevê a instalação de 100 kits de energia solar, que incluem os painéis e uma bateria. Os painéis solares estão a ser instalados em casas previamente onde haja pelo menos uma menina a estudar, independentemente do nível de escolaridade.

Numa primeira fase, foram instalados 50 destes conjuntos graças ao financiamento da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

bairro de lata - AWAY
Bairro de lata (Foto: Steven dosRemedios/Flickr)

A OMCV está a trabalhar com a empresa cabo verdiana de energia Prosol, que está responsável pelo equipamento, assim como pela instalação e pela formação para ensinar às famílias como fazer a correta manutenção do kit para que dure mais.

O projeto “Luz para as meninas” deverá chegar a cinco zonas da ilha de São Vicente, a segunda mais populosa de Cabo Verde.

Criança a estudar - AWAY
Menina a estudar (Foto: B. Harmon/Unsplash)

Esta ilha tem 23.976 edifícios recenseados, dos quais apenas 68,5% estão concluídos. Do total, 7,3% (1750 casas) são “não clássicos”, ou seja, são barracas ou casas de bidão, de acordo com a descrição do Instituto Nacional de Estatística (INE), citado pela Lusa.

A construção de casas informais nas ilhas de Cabo Verde tem vindo a aumentar, quase duplicando entre 2010 e 2021.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Vai nascer uma mega central solar fotovoltaica no Alto Alentejo
Preço dos combustíveis desce na próxima semana 12 a 18 de dezembro
Tecnologia Nissan e-Power nos novos Qashqai e X-Trail