Energia

BMW está a reutilizar matérias-primas de baterias usadas na China

Construtor cria ciclo fechado de abastecimento para reutilizar níquel, lítio e cobalto na produção de novas baterias
BMW recicla baterias na China
BMW recicla baterias na China

A joint venture que o grupo BMW estabeleceu na China – BMW Brilliance Automotive (BBA) – criou um ciclo fechado para a reutilização das matérias-primas níquel, lítio e cobalto de baterias de alta tensão que já não são adequadas para utilização em veículos elétricos.

As baterias provêm de veículos eletrificados em fase de desenvolvimento, de sistemas de teste e rejeições de produção e, no futuro, também de veículos em fim de vida útil.

A BBA está a trabalhar com um reciclador local que desmantela baterias usadas e, com recurso a tecnologia inovadora, recupera uma elevada percentagem das matérias-primas que se encontram nas respetivas células. Essas matérias-primas são então utilizadas na produção de novas células de bateria para o Grupo BMW.

Com a criação deste circuito fechado de materiais, assente no princípio da conservação de recursos, o construtor alemão acredita que se obtém uma redução de 70% nas emissões de CO2, comparativamente com a utilização de material primário recentemente extraído.

Em consonância com as atuais políticas em vigor na China, o grupo BMW desenvolveu ainda um sistema de rastreio de baterias assente em codificação, o qual permite a sua rastreabilidade ao longo de todo o ciclo de vida. A codificação garante que as baterias de toda a cadeia de valor, usadas quer em veículos de teste, quer em veículos já no mercado, possam ser recicladas profissionalmente.

"Face à crescente escassez de recursos finitos e ao aumento dos preços das matérias-primas, é especialmente importante avançar com a economia circular, aumentar a percentagem de materiais reutilizáveis e reduzir a nossa dependência de matérias-primas”, destacou Jochen Goller, responsável pelo Grupo BMW na região da China.

De referir que a China é o maior mercado do mundo de veículos elétricos. Só o Grupo BMW conseguiu triplicar as suas vendas de modelos deste tipo no primeiro trimestre deste ano.

Com o rápido desenvolvimento do mercado de automóveis elétricos chinês, deu-se também o crescimento da indústria de reciclagem de baterias, o que são boas notícias para o ambiente. O Centro de Tecnologia e Investigação Automóvel da China espera que o volume total de baterias recuperadas na China atinja cerca de 780 mil toneladas até 2025, refere a BMW em comunicado.

Continuar a ler
Home
Combustíveis: gasóleo vai finalmente descer na próxima segunda-feira
Supervan desportiva de entregas rápidas com 1.470 kW
Carros elétricos usados. Uma boa opção? O que ter em conta?