Energia

Fábrica automóvel Stellantis pode vir a usar energia geotérmica renovável

Acordo estabelecido com a empresa Vulcan poderá vir a beneficiar a unidade onde são produzidos os modelos Opel Astra e DS 4
Texto
Fábrica Stellantis de Rüsselsheim (Foto: divulgação)
Fábrica Stellantis de Rüsselsheim (Foto: divulgação)

A partir de 2025, a fábrica do grupo automóvel Stellantis em Rüsselsheim, na Alemanha, poderá vir a recorrer a energia geotérmica para fazer face a uma parte significativa das suas necessidades energéticas. Medida resulta de um acordo estabelecido com a Vulcan, empresa produtora de lítio.

Energia geotérmica, também designada como geotermal, é a energia obtida a partir do calor proveniente do interior do planeta, sendo considerada uma das energias renováveis mais limpas e fiáveis.

Fábrica de Rüsselsheim - AWAY
Fábrica de Rüsselsheim (Foto: divulgação)

O acordo de princípio vinculativo criado entre a Stellantis e a Vulcan abrange a primeira etapa de uma iniciativa para o desenvolvimento de novos projetos geotérmicos, destinados a descarbonizar o fornecimento de energia à unidade industrial onde são fabricados os automóveis Opel Astra e DS 4.

Essa primeira etapa incluirá um estudo de pré-viabilidade para a construção, por parte da Vulcan, de instalações geotérmicas a serem utilizadas pela Stellantis, grupo automóvel detentor de marcas como a Peugeot, a Fiat, a Jeep, a Citroën e a Opel, entre muitas outras.

Fábrica de Rüsselsheim - AWAY
Unidade onde são produzidos o modelos Opel Astra e DS 4 (Foto: divulgação)

Trata-se da primeira utilização potencial da Stellantis de energia geotérmica renovável para a produção de veículos.

De referir que o acordo estabelecido entre as duas empresas tem também como objetivo produzir eletricidade limpa e fornecê-la à rede para consumo interno e externo, para além de produzir aquecimento para ser transferido para a unidade fabril de Rüsselsheim, localizada a 32 km de Frankfurt.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Plano da União Europeia vai ajudar a salvar as abelhas
Base logística do Intermarché já tem painéis solares fotovoltaicos
Antártida tem um novo iceberg 15 vezes maior do que Lisboa