Energia

Portugal é o 11º país da UE com maior dependência de importação de energia

Dados da Pordata revelam que a Estónia é o país da União Europeia menos dependente da importação de energia
Produção de energia (Foto: Pexels)
Produção de energia (Foto: Pexels)

A base de dados Pordata revelou os dados estatísticos referentes à dependência de importação de energia de cada país europeu. Na União Europeia (UE) a Estónia é o país com menor dependência energética e Portugal surge no meio da tabela em 11º lugar.

Na Europa os lugares dianteiros são ocupados por Malta, Chipre e Luxemburgo que necessitam de importar mais de 90% da energia que consomem.

Estes dados da Pordata, base de dados estatísticos da Fundação Francisco Manuel dos Santos, são referentes ao reportado em 2020 e mostram, ainda assim, que Portugal tem vindo a reduzir essa dependência. O 11º lugar indica uma dependência de 65% (em 2000 era de 85%), ainda assim, acima da média da EU (58%).

No que se refere ao preço da energia, em 2021, os portugueses pagavam o 6.º preço mais caro da UE27, enquanto a indústria pagava o 14.º mais elevado. Já no que se refere ao gás natural, anulando a diferença do custo de vida dos vários países, as famílias portuguesas pagavam o segundo preço mais caro da UE e a indústria o 18.º.

Importação da energia

Em 2020, Portugal importou cerca de 3,7 milhões de toneladas de petróleo, proveniente de Espanha (57%), Rússia (15%) e dos EUA (10%).

Já as importações de gás natural ascenderam a quase 5,6 mil milhões de metros cúbicos normais (Nm3), com origem na Nigéria (54%), EUA (19%), Rússia (10%) e Argélia (9%).

A UE produziu, em 2020, 573,8 milhões de toneladas equivalentes de petróleo (tep) de energia, sendo que França (21%), Alemanha (17%), Polónia (10%), Itália (7%), Espanha e Suécia (6%) foram os que mais contribuíram.

Por sua vez, o consumo de energia primária na UE diminuiu 10% em 2020, face a 1990, e apenas oito dos 27 países aumentaram este consumo, incluindo Portugal (29%). No entanto, desde 2005 que se verifica uma descida, com 19,5 milhões de tep consumidos em 2020, abaixo da meta proposta para 2020 de 22,5 milhões de tep.

Entre 1990 e 2020, a UE reduziu em 5% o consumo de energia final. Portugal aumentou a sua eficiência energética desde 1995, em linha com a Europa.

Energias renováveis em destaque

Na UE, as renováveis produziram, em 2020, 41% da energia primária e contribuíram para 22% da energia consumida.

Portugal foi o terceiro país da União Europeia que mais produziu energia renovável no total da energia produzida (98%). Portugal foi o quinto país da União Europeia que mais consumiu energias renováveis no total do consumo final de energia (34%)”, lê-se no comunicado da Pordata, divulgado pela Lusa.

A Alemanha foi o país que mais contribuiu para a produção de energia primária através de fontes renováveis, com um quinto da energia total dos países europeus. Neste ano, a produção de energias renováveis na UE estava dividida entre biomassa (57%), energia eólica (15%), hídrica (13%), solar (7%) e geotérmica (3%).

Em Portugal, o destaque foi também para a biomassa (51%), seguida pelas energias eólica e hídrica (ambas com 16%), solar (4%) e geotérmica (3%).

Continuar a ler
Home
Novos radares em Lisboa dia 01 de junho. Sabe aqui onde estão
Cuidado com o calor. Vêm aí máximas de 35 graus!
Sabias que há cidades que podem contribuir para a tua saúde?