Energia

Hidrogénio verde: vamos produzir a energia que consumimos?

Portugal deseja tornar-se menos dependente energeticamente no futuro
Texto
Autocarro a hidrogénio, Cascais (foto: Horacio Villalobos/Corbis v/ Getty Images)
Autocarro a hidrogénio, Cascais (foto: Horacio Villalobos/Corbis v/ Getty Images)

A produção de hidrogénio verde irá permitir a Portugal produzir não apenas a energia que consome como tornar-se um país exportador. O hidrogénio surge cada vez mais como uma solução de futuro em termos energéticos e económicos.

Esta ideia foi hoje, dia 15 de fevereiro, defendida pelo primeiro-ministro português António Costa no decurso de uma cerimónia que assinalou a assinatura dos contratos do primeiro Programa de Apoio à Produção de Hidrogénio Renovável e outros Gases Renováveis, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

António Costa relembrou que a questão energética e a sua dependência têm sido um dos problemas crónicos de Portugal e que esta questão se agravou, primeiro com a pandemia e agora com a guerra na Ucrânia.

antonio costa - away
Duarte Cordeiro, ministro do ambiente à esquerda e António Costa, primeiro ministro (foto: Rodrigo Antunes/Lusa)

O hidrogénio verde irá permitir a países como Portugal libertarem-se dos combustíveis fósseis, melhorar o ambiente, reduzir as emissões de gases nocivos para a atmosfera e equilibrar a balança comercial.

A ambição é grande e o primeiro-ministro deixa o mote: “é uma oportunidade que não podemos desperdiçar”.

Os 25 projetos hoje assinados totalizam verbas de 102 milhões de euros do PRR, no total representam um investimento de 237 milhões de euros e irão permitir reduzir em 167 mil toneladas as emissões de dióxido de carbono (CO2).

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Monstros gigantes a energia solar estão a comer plástico dos rios
Microcarro da Silence tem bateria amovível com rodinhas
Clássico Renault 5 renasce em versão elétrica e moderna