Energia

Alasca poderá ser um dos maiores produtores de hidrogénio do mundo

Estado americano tem como vantagens a proximidade com territórios altamente necessitados de energia e o facto de ter muito gás natural
Texto
Produção de gás natural liquefeito no Alasca (Foto: Farah Nosh/ Getty Images)
Produção de gás natural liquefeito no Alasca (Foto: Farah Nosh/ Getty Images)

Numa altura em que, a nível global, se intensifica a busca por energias limpas, o hidrogénio assume um papel ainda mais relevante. Na sua produção, há uma região que poderá ter um papel determinante – o Alasca.

Maior estado dos Estados Unidos em território e o mais escassamente povoado, o Alasca goza de características únicas que poderá aproveitar para se tornar um grande produtor de hidrogénio a nível mundial.

Alasca - AWAY
Produção de gás natural liquefeito no Alasca (Foto: Farah Nosh/ Getty Images)

Desde logo a sua proximidade geográfica com países com indústrias pujantes e com os quais o Alasca já tem uma forte relação comercial, como o Japão ou a Coreia do Sul. Duas nações tecnologicamente avançadas, mas altamente poluidoras e ainda muito atrasadas no cumprimento das suas metas de descarbonização.

No caso do Japão, algumas das suas empresas mais relevantes já estão a cooperar com a Alaska Gasline Development Corporation, uma empresa pública deste estado norte-americano, e com a Hilcorp, empresa produtora de energia, para avaliar a viabilidade comercial da criação de hidrogénio limpo a partir de amoníaco isento de carbono.

Alasca - AWAY
Alasca é o estado com menor densidade populacional (Foto: Lance King/ Getty Images)

Não menos relevantes são os recursos naturais que posicionam o Alasca na linha da frente para a produção de hidrogénio, como é o facto de ter muito gás natural. Na região do North Slope, há um potencial de qualquer coisa como 1,23 biliões de metros cúbicos deste combustível, que poderá ser usado na produção de hidrogénio limpo.

Já em negociações com promotores e investidores para a construção de infraestruturas e a comercialização do gás natural do North Slope, o projeto Alaska LNG é já um dos mais relevantes e com menores emissões a nível mundial. Este poderá, assim, dar um impulso muito significativo à produção de hidrogénio no território.

Para além do gás natural, o Alasca posiciona-se ainda para a produção de hidrogénio a partir de outras fontes de energia, como a hídrica, a eólica ou das marés.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Barco à vela produzido com algas e plástico reciclado inspira o futuro
Comer carne ou ser vegan? Qual a dieta com menos emissões de carbono?
Limitar o aquecimento global a 1,5ºC parece tarefa impossível diz novo estudo