Energia

Parque eólico offshore na Alemanha vai ter turbinas recicláveis

Pás criadas pela Siemens Gamesa têm tecnologia que permite separar os vários materiais de forma a que possam ser reutilizados

A 35 quilómetros da ilha de Heligoland, na Alemanha, está o novo parque eólico offshore Kaskasi, da empresa alemã de energia RWE. Ainda não está em pleno funcionamento – apenas nove das 38 turbinas eólicas produzem energia -, mas já está a dar que falar. Isto porque, mais do que gerar energia renovável, é o primeiro a usar as turbinas com lâminas recicláveis da Siemens Gamesa.

A reciclagem de aerogeradores não é um conceito novo. Há já vários componentes das turbinas que são reciclados, mas sempre houve alguma dificuldade em reciclar os compósitos, criados através da junção de pelo menos dois materiais. A tecnologia utilizada nas turbinas RecyclableBlades da Siemens Gamesa dá resposta a este problema.

Quando terminarem a sua vida útil, as pás das turbinas que estão a ser utilizadas no parque eólico Kaskasi vão passar por um processo que permite separar a resina, a fibra de vidro, a madeira, entre outros componentes uns dos outros. Depois, estes produtos são utilizados noutras indústrias, podendo ser reutilizados na criação de malas de viagem ou de molduras para ecrãs planos, por exemplo.

A utilização das turbinas de lâminas recicláveis no parque eólico offhsore Kaskasi permitirá testar este novo produto enquanto produz energia e representa um passo importante para tornar a produção de energia verde ainda mais sustentável.

O Kaskasi da RWE será composto por 38 turbinas eólicas com lâminas de 81 metros de cumprimentos, sendo que apenas algumas destas serão as RecyclableBlades. Até final do ano, o parque eólico deverá estar totalmente operacional, sendo que nessa altura será capaz de produzir energia verde suficiente para alimentar 400 mil casas por ano.

(Fotos: RWE)

Continuar a ler
Home
Alterações climáticas impactam nascimento das tartarugas
Preço dos combustíveis desce hoje: vê a nossa previsão
Descobre este veículo de transporte coletivo autónomo e a hidrogénio