Energia

Transformação de óleos alimentares em biocombustíveis cresce em Portugal

Cada vez mais municípios integram rede de gestão destes resíduos, o que permite aumentar a produção de combustíveis verdes
Texto
Hardlevel transforma óleo usado em combustíveis verdes
Hardlevel transforma óleo usado em combustíveis verdes

Está a crescer em Portugal a quantidade de óleos alimentares usados que são transformados em combustíveis sustentáveis, nomeadamente o biodiesel HVO (óleo vegetal tratado com hidrogénio) e o SAF (biocombustível de aviação). Parte desse impulso tem origem na empresa Hardlevel – Energias Renováveis, um dos principais operadores do setor da reciclagem de óleos alimentares usados no nosso país.

A rede da Hardlevel abrange mais de 100 municípios e conta atualmente com mais de 2500 oleões inteligentes instalados, os quais servem cerca de 3,5 milhões de munícipes. Só em Lisboa a empresa tem instalado um número superior a 200 oleões Smart S+, os quais estão disponíveis para os mais de 500 mil habitantes da capital. E a tendência é de crescimento.

Prevemos que, no final de 2022, a Hardlevel tenha instalados mais de 3.000 oleões Smart S+ em pelo menos 150 municípios”, refere Salim Karmali, administrador e cofundador da Hardlevel.

Apesar da curva no sentido positivo, verifica-se ainda a necessidade de sensibilizar a população para a importância da reciclagem de óleos alimentares usados, já que das 43 mil a 65 mil toneladas produzidas anualmente, estima-se que 60% tenha como destino o esgoto.

Equipados com dispositivos IoT (Internet of Things), os oleões Smart S+ da Hardlevel permitem detetar o nível de enchimento em tempo-real, prevenindo derrames na via pública, bem como rastrear os depósitos de óleos alimentares usados feitos pelos utilizadores e informar sobre a capacidade disponível em tempo real. Estes oleões estão ainda preparados para contabilizar o depósito de cada pessoa e atribuir pontos que dão acesso a prémios.

Adicionalmente, a empresa tem instalados mais de 200 pontos de recolha em supermercados, hipermercados e retalhistas de combustíveis, o que lhe permite chegar a grande parte do território nacional.

Sediada em Vila Nova de Gaia e com centros logísticos e de pré-tratamento noutros pontos do país, a Hardlevel possui uma capacidade instalada de pré-tratamento de 50 mil toneladas anuais de óleos alimentares usados e 4500 metros cúbicos de armazenagem instantânea, nos polos operacionais de Avanca e Palmela.

A empresa está também a internacionalizar o seu modelo de gestão inteligente de óleos alimentares usados em Espanha e França,

(Fotos: divulgação)

 

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Eletricidade e gás ficam mais caros dia 1 de outubro
Comboio de alta velocidade Porto-Lisboa poderá ser uma realidade dentro de uma década
Itália tem primeira residência para estudantes alimentada a hidrogénio