Energia

Projeto usa baterias de veículos elétricos para carregar rede nos Açores

Consórcio liderado por Galp testa tecnologia vehicle-to-grid que permite que veículos elétricos se tornem fornecedores de eletricidade
Projeto piloto testa tecnologia V2G nos Açores
Projeto piloto testa tecnologia V2G nos Açores

E se os veículos elétricos puderem ser usados para mais do que apenas mobilidade? É isso que o projeto V2G Açores esteve a testar. Durante 90 dias, um consórcio liderado pela Galp utilizou a bateria de uma frota de dez Nissan Leaf e e-NV200 para injetar energia na rede elétrica da ilha de São Miguel, nos Açores, conseguindo alimentar diariamente 32 residências.

A tecnologia testada foi a vehicle-to-grid (V2G) que permite que os veículos elétricos armazenem eletricidade, fornecendo de volta para a rede elétrica quando necessário e desde que estejam estacionados.

Projeto Galp nos Açores

O projeto-piloto testou carregar os veículos elétricos quando o preço da energia elétrica era mais baixo – horas de supervazio -, descarregando depois de volta para a rede elétrica ou para autoconsumo em períodos em que a energia estava mais caro – horas cheias. Pela a análise do consórcio, esta utilização permite uma possível redução de até 50 euros na fatura mensal de eletricidade.

Ao dar esta nova utilização aos veículos elétricos, cria-se uma nova fonte de energia, ao mesmo tempo que se rentabiliza o automóvel nos períodos em que está parado.

Durante o projeto, foram feitas medições do estado de saúde da bateria para se perceber se haveria desgaste extra com a tecnologia V2G. De acordo com a Galp, não se verificou grandes diferenças entre os veículos usados no projeto-piloto e as viaturas apenas usadas para deslocações diárias com a mesma quilometragem.

O projeto começou em março de 2020 e foi resultado de um consórcio liderado pela Galp, em parceria com a Eletricidade dos Açores (EDA) e a Nissan, e teve o apoio de parceiros estratégicos e provedores de serviço como a Nuvve, o INESC-TEC e a DGEG.

Durante quase dois anos e com uma frota de dez veículos elétricos, foi possível injetar mais de 100 MWh na rede elétrica, ao mesmo tempo que se evitou a emissão de 15,2 toneladas de dióxido de carbono.

O projeto V2G Açores, para além de testar a viabilidade da tecnologia, permitiu também reunir informações para a criação de enquadramento legal e regulatório para que a tecnologia passe de uma fase piloto para uma fase de mercado.

 

(Fotos: Stefan Haubold/Flickr, Unsplash, Divulgação/Captura Galp Media)

Continuar a ler
Home
Radares: onde vão estar instalados os controlos de velocidade da PSP em julho
Lisboa é considerada a cidade mais feliz do mundo
Painéis solares grátis? Descobre como teres acesso