Energia

Tarifas de eletricidade e gás natural sobem 3% em abril

Os aumentos, para os clientes do mercado regulado, são justificados pela crise da Guerra da Ucrânia
Tarifas de eletricidade e gás sobem 3% em abril
Tarifas de eletricidade e gás sobem 3% em abril

As tarifas da eletricidade no mercado regulado vão aumentar cinco euros por MWh, a partir de 01 de abril, o representa um acréscimo de aproximadamente 3% na fatura média mensal de eletricidade, divulgou hoje a ERSE.

Em comunicado, a ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos refere que o aumento agora anunciado abrange os consumidores no mercado regulado, que em janeiro eram 927 mil clientes (cerca de 6% do consumo total).

O regulador diz que “esta atualização ocorre num momento em que os mercados de energia são particularmente afetados pelo conflito que decorre entre a Ucrânia e a Rússia, alterando os pressupostos que estavam na base dos preços em vigor no mercado regulado”.

“Até à data, a atualização trimestral da tarifa de energia no setor elétrico já determinou uma redução de 5 EUR/MWh [Megawatt-hora], em abril de 2020, e dois aumentos de 5 EUR/MWh, em julho e outubro de 2021”, refere a ERSE.

Tarifa de gás natural também vai subir

As tarifas do gás natural vão subir em média 3% a partir de 01 de abril para os 230 mil clientes que permanecem no mercado regulado, anunciou hoje a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Em comunicado, a ERSE informa que "a aplicação da nova tarifa de energia produz efeitos a partir de 01 de abril de 2022 e abrange os consumidores no mercado regulado, que corresponde a cerca de 2,2% do consumo total e 230 mil clientes”.

Para a maioria dos clientes domésticos do mercado regulado, a atualização decorrente da escalada de preços nos mercados grossistas representa um aumento de aproximadamente 3% na fatura média mensal de gás natural.

Continuar a ler
Home
Novos radares em Lisboa dia 01 de junho. Sabe aqui onde estão
Cuidado com o calor. Vêm aí máximas de 35 graus!
Sabias que há cidades que podem contribuir para a tua saúde?