Energia

Aumento dos combustíveis: ANAREC diz que medidas do governo são insuficientes

Associação de revendedores de combustível alerta que estas medidas são apenas temporárias
Texto
Posto de combustível
Posto de combustível

O enorme aumento no preço dos combustíveis que se fez sentir esta semana, explicado, em parte pela invasão da Rússia à Ucrânia, obrigou o governo a apresentar um conjunto de medidas para mitigar o impacto desta subida de preços.

O bónus de 20 euros no Autovoucher em março, alargamento até junho da devolução de receita extra em ISP e suspensão da aplicação da taxa de carbono, até final de junho, são apenas medidas de caráter paliativo.

Quem lança o alerta é a ANAREC, Associação Nacional de Revendedores de Combustíveis, que manifesta maior preocupação com o facto de que estes aumentos vão ser também prejudiciais para os revendedores.

De acordo com comunicado distribuído à imprensa, a ANAREC diz que o facto da margem de comercialização ser fixa em cêntimos, e não percentual, implica menor lucro pois o aumento implica menor quantidade de litros vendida.

Alerta ainda para dois casos que tem de ser levados em conta. Por um lado a situação dos postos em zona de fronteira com concorrência óbvia de Espanha com importante diferencial de preços e para a ausência de apoios aos distribuidores de gás, face ao anunciado reiterado apoio à táxis e transportes públicos.

Para a associação, impõem-se uma diminuição significativa dos impostos ao nível do ISP para que o aumento se esbatesse no ato do abastecimento.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Portugal inova com projeto de reprodução de corais
Vê onde vão estar os radares da PSP em dezembro
Tecnologia Nissan e-Power nos novos Qashqai e X-Trail