Mobilidade

Google das entregas aéreas? Drones Wing são aposta da Alphabet

Wing, empresa irmã da Google, está a desenvolver serviço de entregas com drones autónomos
Texto

O futuro da mobilidade pode muito bem ser pelo ar – prova disso são os eVTOL que estão a ser lançados –, e até as encomendas podem chegar até à tua porta de drone. Parece uma ideia futurística, no entanto já é uma realidade em algumas cidades do mundo graças à Wing, uma empresa da Alphabet, a detentora ou casa-mãe da Google.

Se calhar nunca ouviste falar da Wing, mas a verdade é que a empresa já está a olhar para os céus desde 2012, ainda que na altura fosse apenas um projeto da Google X. O objetivo que a move é criar uma rede de entregas que leve as encomendas da loja – qualquer que ela seja – até à porta das pessoas usando drones autónomos.

Drone Wing - AWAY
Drones levam encomendas da loja até ao cliente (foto: Wing)

Em 2014, o ainda projeto fez a sua primeira entrega em ambiente real e, desde então, além de ter ganhado a forma de empresa, começou a operar em dez localizações espalhadas por três continentes. Até agora, diz, já realizou 300 mil entregas.

A meta é muito mais ambiciosa, é ter milhares de drones a operar em simultâneo, a fazer milhões de entregas de pequenos objetos por ano. No fundo, tornar este serviço aéreo a regra e não a exceção.

Para garantir que a rede a que chama The Wing Delivery Network funciona, a empresa necessita de quatro elementos essenciais: os drones, as plataformas de onde os dispositivos partem e onde são carregados, as estruturas onde as embalagens são depositadas pelo fornecedor para serem levadas e um software que faz com que tudo corra sem problemas.

Esta rede é a base e a estrutura do negócio da Wing. Graças ao software, os drones autónomos apanham e entregam as encomendas, escolhem qual a melhor plataforma para aterrar e em que momento é necessário ligar à corrente para recarregar.

Para o consumidor talvez a melhor parte será ver as suas encomendas a caírem – não literalmente – do céu. Para as empresas, no entanto, as vantagens ainda são algumas.

A utilização de drones para entregas de last mile (últimos quilómetros) é menos poluente, mais rápida (demora cerca de 15 minutos) e, sendo automatizada, mais económica. Os funcionários não têm de fazer grande coisa além de preparar o que vai ser enviado e colocar no sítio de recolha.

Drone Wing - AWAY
Wing já fez 300 mil entregas (foto: Wing)

Estando os dispositivos ligados à rede da Wing, é garantido que estes cumprem os regulamentos aéreos de cada país e que as encomendas chegam de forma eficiente e segura sem que todo o processo seja uma dor de cabeça para as empresas de retalho.

A Wing tem estado a crescer e planeia ainda este ano chegar a novas localizações. Em meados de 2024, espera que o seu sistema esteja a gerir milhões de entregas para milhões de consumidores.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Hyundai apresenta primeiro camião a hidrogénio com condução autónoma
Segurança rodoviária: 9 peças de roupa a evitar quando se está ao volante
Projeto português cria vidro que produz eletricidade a partir da luz solar