Sustentabilidade

Os coalas estão a morrer e a culpa não é apenas do clima

Clamídia e secas e fogos provocados por alterações climáticas põem população de coalas na Austrália em risco
Texto

Os coalas são das espécies mais emblemáticas da Austrália. Mas estes animais estão em risco e, em 2022, a sua população foi classificada como ameaçada. Na origem do problema estão dois grandes fatores: uma infeção sexualmente transmissível (IST), a clamídia, e as alterações climáticas.

Da mesma forma que se transmite entre seres humanos, a clamídia também se está a espalhar pelos coalas e está a provocar cegueira e infertilidade na espécie. Mesmo os medicamentos que ajudam a tratar a infeção podem interferir com o sistema digestivo dos animais e conduzir à morte, não sendo por isso a melhor solução. 

Coalas - AWAY
Coalas são espécie ameaçada (foto: Steve Franklin/Unsplash)

Casos de clamídia nos coalas sempre existiram. O problema é que a incidência tem vindo a aumentar. Em 2008, cerca de 10% de uma população de Gunnedah tinha sido diagnosticada com a IST. Em 2015, a percentagem subiu para 65% e em 2021 atingiu os 85%, cita a CNN internacional.

As fêmeas que apanham clamídia, normalmente, acabam inférteis o que impacta a população de coalas, já que não nascem novos animais.

O aumento de casos de IST nos coalas tem um grande incitador, as alterações climáticas.

Coalas - AWAY
Coalas com queimaduras a serem tratados (foto: Jor Armao/The Age via Getty Images)

A Austrália tem sofrido muito com o aquecimento global que tem provocado grandes secas, ondas de calor e, consequentemente, grandes fogos florestais que têm destruído habitats inteiros.

Os coalas são duplamente impactados por este problema. Por um lado, a perda de habitats e a falta de alimento e água estão a matar os animais. Por outro, mesmo quando tal não acontece, os níveis das hormonas de stress nos coalas sobem exponencialmente impactando o seu sistema imunitário e fazendo com que a infeção por clamídia se espalhe muito mais depressa.

Medidas para salvar os coalas

A Austrália está a trabalhar para evitar que os coalas desapareçam. Até porque se nada for feito, em 2050, estes marsúpios podem estar extintos, refere a ABC News.

Coalas - AWAY
Espécie pode desaparecer até 2050 (foto: David Clode/Unsplash)

A secção de New South Wales do partido trabalhista australiano propôs, no seu plano eleitoral, a construção de um parque nacional para coalas na região de Sidney. A escolha da localização não é aleatória. É aqui que se encontra uma das poucas populações selvagens de coalas sem casos de clamídia.

Uma zona protegida com animais saudáveis pode ajudar a que nasçam mais coalas, o que pode ajudar a salvar a espécie.

Além da possível criação de um parque para coalas, os cientistas estão ativamente a vacinar os animais contra a IST, uma medida que pode ajudar a reduzir os casos de infeção.

Ainda assim, há um problema que não se resolve com vacinas ou medicação. As alterações climáticas continuam a ter impacto não só nos coalas como em outras espécies animais. A única forma de mitigar a questão é conseguirmos controlar a subida das temperaturas e o impacto do ser humano no ambiente.

Continuar a ler
Descobre o teu mundo.
Recebe a nossa newsletter semanal.
Home
Hyundai apresenta primeiro camião a hidrogénio com condução autónoma
Segurança rodoviária: 9 peças de roupa a evitar quando se está ao volante
Projeto português cria vidro que produz eletricidade a partir da luz solar